2016/03/30

2016/03/29

da ausência de valor

li que no jogo de futebol com a bélgica alguém, suponho que muita gente, era portador de uma bandeira da bélgica em homenagem aos atentados.
sei que é um lapso.
sei que não seriam os atentados que se pretendia homenagear...

mas tudo, todas estas manifestações, tem um ruído que se assemelha a de algo com sentido.
não gosto.
 perante alguns acontecimentos, a única homenagem minimamente decente é o silêncio.

seja um minuto, sejam dois, seja uma hora, mas silêncio.

2016/03/14

é cortá-los, rentes...

Somos um povo sem palavras, por tantos séculos de miséria e analfabetismo?

Somos, e por isso queremos ter coisas. De preferência coisas caras que preencham esse vazio, que dêem(*) um sentido aparente ao caos interior. Por exemplo, na Holanda não há carros de luxo. Quem tem carros de luxo são os traficantes de droga e as prostitutas e os parolos. As pessoas normais têm um utilitário. Aqui essa necessidade de mostrar, de exibir, esse parolismo começa logo nos políticos. Ser político à portuguesa implica logo ter um carro de luxo. É uma coisa triste mas que depois só me dá vontade de rir.

(*) correcção minha, que aqui não há cá AO's...

2016/03/03

"la trampa" ou "cala-te!"

olha aqui um excerto de uma das espístolas ao coríntios retirado da "bíblia en lenguaje sencillo":

Por eso, ninguno de los dos debe decirle al otro que no desea tener relaciones sexuales. Sin embargo, pueden ponerse de acuerdo los dos y dejar de tener relaciones por un tiempo, para dedicarse a orar. Pero después deben volver a tener relaciones; no vaya a ser que, al no poder controlar sus deseos, Satanás los haga caer en una trampa.