2012/06/20

simple


irie!!!!
raatid! i go take string off fi me guitar and still cyan no play i-rey music, mon!!!

trips


no início do clip é "rider to the sea" que está a ser interpretada. e é muito cool, isso.

2012/06/19

not dogs

é certo e sabido que a pessoa (?) que mantém este estaminé a funcionar não gosta de cães. sempre foi mais gatos, apesar de não gostar de animais por aí além. não é bem não gostar, apenas não percebe a quantidade e a qualidade de afectos que certos seres humanos, pessoas saudáveis, com quem se pode falar na maioria dos casos, depositam em seres irracionais. a importância disto é relativa: é apenas mais uma coisa que a pessoa (?) não percebe.
mas há um critério que se mantém: seres que sabem gerir os seus próprios excrementos merecem respeito. algures por aqui deverá andar uma referência à "caixa de pandora", sendo que pandora foi uma gata siamesa que gostava dos smiths e que foi atropelada. é neste sentido que se é mais para os gatos.
é na linha do suprarreferido que deve ser tida em conta a indicação que se segue:
http://indifferent-cats-in-amateur-porn.tumblr.com/

se isto tiver o apoio dos ilustríssimos convidados aqui presentes, até poderá passar a link definitivo, ali ao lado.

e ainda dizem que os blogues estão fora de moda!!!

2012/06/12

o arco (e a lira)


o equilíbrio não elimina as forças opostas. apenas, por definição, as anula.

runião

- tu, às vezes, és duro...
- eu? como?
- sei lá... em algumas tomadas de posição.
- acho que em algumas tomadas de posição convém ser duro, não?
- não é fácil falar contigo...
- para quando não é fácil há pomadas de tecisão...
- não dá para falar a sério contigo.
- eu não quero falar a sério "contigo" sobre o meu trabalho. aliás, nem to admito...

2012/06/11

lazarus

é quando o outro gajo adormece no sofá e, lá prás 4 da manhã, se dá o milagre: ele levanta-se e caminha.

2012/06/01

rede neuronal com buracos

tenho uma clara sensação de que havia uma frase ou duas da "mrs dalloway", de virginia woolf, para colocar aqui e não me lembro bem... entretanto lembrei-me, mas prefiro a versão original ao invés da tradução (que tenho, na minha edição, ostensivamente sublinhada): "she had a perpetual sense, as she watched the taxi cabs, of being out, out, far out to sea and alone; she always had the feeling that it was very, very dangerous to live even one day."