2018/06/05

coolness

- vinha a conduzir e lembrei-me de um salmo...
- salma-me lá, então.

2018/06/02

micro-história CDLVII

mega-título:
"regresso a bizâncio"

2018/05/11

Σαπφώ

"amo-te sempre, mesmo que fiques a admirar a campina da professora de economia!"

2018/05/07

e.e.

a poet is somebody who feels, and who expresses his feelings through words. this may sound easy.
it isn’t.
a lot of people think or believe or know they feel — but that’s thinking or believing or knowing; not feeling.
And poetry is feeling — not knowing or believing or thinking.

2018/05/03

a nobre arte de saltear

a propósito da confusão (não minha...) entre espinafres e grelos...
- aquilo que eu aprecio no espinafre é assim aquele picozinho... gosto quando está mais durinho.
- é como eu... é isso que eu aprecio no grelo.

2018/04/28

tarde

a curva do teu seio
não é
um convite
antes
uma promessa

2018/04/21

red devil with jaguar / jolie québécoise

modéstia e humildade

(e eu a pensar que apenas apreciavas o meu intelecto e sentido de humor...)

Eu aprecio todo o teu ser
Em particular o sentido de humor e intelecto

ditto

sobre chrysta bell, no outro dia:

More plausibly, it could also stand for Confidently Beautiful as CB is nothing if not poised, elegant and, it has to be said, stunningly attractive.
Setting that aside, her voice is equally stunning; capable of a tender whisper one minute and a shrieking roar the next. As guitarist Jon Sanchez carves out layers of vibrato-soaked chords and baritone bass string twangs, I’m reminded of another Twin Peaks special agent: Chester Desmond, or more specifically the actor and singer who played him, Chris Issak; were Issak’s songs to be steeped in a barrel of quaaludes and ketamine and hung out to dry.

2018/04/19

sleepy coolness

e quando a malta vê, meio a dormir, um filme muito cool e finalmente desperta pelo risível da cena e se tem que levantar cedo porque a vida de sempre não compactua com veleidades erotico-fanta-autobiográficas...

2018/04/14

we are young, we are free!!!

eu, christian bale, glen hansard...
tudo rapazes do mesmo tempo (o bale mainovo, de 74)...
e todos com um pormenor em comum:
uma pequena, pequenina, verruga, no nariz, ao nível dos olhos...
disseram que a idade faz isto...

no prob.

2018/04/11

we´ed not weed

they both, to some degree, got what they needed without having to give up what they wanted.

2018/04/07

a propos d´antónio sérgio

enquanto trabalho, escuto a entrevista de inês menezes a antónio sérgio, quando do início da colaboração deste na radar...
se é preferível arrepender-nos do que fazemos e não do que deixámos por fazer, arrependo-me de não o ter ouvido sempre quando podia tê-lo feito.
como em muitas coisas, mais do que a "coisa" em si, aprecio a ligação a momentos da minha existência e à respectiva rememoração. pequenas ondas embatentes no costado de um navio, noites esconsas e solitárias (também sofia morais)...

faço um excurso até a um texto da inês relativo à morte de l. cohen:

Sempre me intrigou este homem que já era velho há muito tempo. Que descobriu religiões e credos diferentes porque mal de quem tenha certezas imutáveis. Não se faz poesia com certezas. Faz-se da falha e da dúvida e do medo da morte.

nota mental: falar com os moços sobre as músicas, sobre o musicamento das minhas palavras...

2018/04/02

ironing irony

B - ó filho, leva lá esta camisola para junto da outra roupa do pai do ciclismo...
J - achas que isto é uma camisola adequada para o pai do ciclismo?
B - o que é que tem? foi a que ele usou...
J - sei lá... esperava algo mais heróico ou isso... acho que vou adoptar como nome "o filho do ciclismo"...

2018/04/01

adenda a "the crying game"

quase nem dei pelo deslizar dos dedos pelo cordame
na noite de sossego e pacatez
quando, sem aviso, fui apanhado em cheio pelo verso e pelo tom
e um vórtice interior tornou o mundo oblíquo.
há alguém que me olha sem nada compreender
e eu apenas me comovo fundamente, como se sem futuro.