2006/12/31

fuck '06

hoje é o último dia do ano, o que significa que não é o último dia de coisa nenhuma e, por outro lado, é o último dia de hoje.
o cocktail de problemas mentais que é o autor deste blog deseja para 2007: (completar as frases com a expressão "um ou dois visitantes deste blog")
- saúde para mais do que...
- sete maços de notas de 500 euros para, pelo menos,...
- muitos meninos para...
- ir para a cama com...
- que conheça a sua alma gémea...
- uma rinoplastia para...
- ser tão inteligente quanto...
- que seja oferecida uma época de férias em paraíso tropical a...
- que lhe seja explicado de modo perceptível o que é o amor por...
- ouvir em confissão...
- ver no link "prazeres"...
- ter uma vida mais normal como...
- ouvir dizer que foi feliz em 2007 a todos excepto a, se calhar, e isto é uma possibilidade remota,...

hemorragianasal

eu sabia que a prima do diogo estaria lá e também sabia da sua tendência para fazer cenas. definitivamente a noite não me estava a correr de feição, apesar de nas minhas feições correr qualquer coisa...

claro que toda a gente se voltou para a porta. é sempre assim quando tu entras nas salas...
- o que é isso?.. - perguntaste.
- é uma espécie de rolha feita de guardanapo de papel... estou a esvair-me... - "estou a esvair-me" é uma bela frase, pensei.
(gargalhada) - lá se vai o teu estilo...
- é perder o estilo ou ficar sem pinta de sangue...
- tens sangue no fato - rosnaste.
- isso sim, é uma fatalidade.

it's my blog anyway

2006/12/29

details

há uma grande diferença entre a linha melódica da canção tainted love, dos soft cell e a da canção seven nation army dos the white stripes. ora vejamos:

tainted love:
tatata, tata, tata, tata, ta, ta, tata, tata, tata, ta, ta...

seven nation army:
ta, tatatata, ta, ta,
ta, tatatata, ta, ta...

2006/12/27

shopping-center lunch, XXXIV

a empregada do restaurante(?) de fast-food tem um rabo a condizer.

inexorabilia

há um todo que respira além de ti,
numa semi-asfixia de veludo
com um bafo funerário de jasmim,
há uma canção que diz o nós só para ti.
há aquilo que sabemos, e contudo...
tudo é ermo em cada um que é assim.

quando o demónio me toma de ponta

cada recusa parece um convite
cada miragem parece ao alcance
cada viagem parece em transe
cada silêncio parece dizer sim
cada atrito é lubrificado
cada vício é subsidiado
cada sombra parece confortável
cada impossivel parece provável

2006/12/26

2006/12/18

barreira de coral

e se alguém se lembrasse de sequestrar, para fazer deste um natal diferente, o coro infantil de santo amaro de oeiras e usasse os reféns como escudo humano?

bidi rectional

nunca pensei que isto me pudesse acontecer: a única coisa interessante que me podia ter acontecido hoje aconteceu e eu não previ que me pudesse acontecer.
está bem que era só um jantar, nada demais, só assim uma coisinha de nada... como se isso, comigo, pudesse existir...

a escolha é uma ilusão criada por aqueles que detêm poder para os que o não têm.

crisp

claro que gosto!
o prazer que me dá é imenso.
não se nota?

mas não te amo o suficiente para voltar a submeter-te a isto!

íngreme

os contorcionismos impostos pela tua sombra
são menos do que movimentos.
a cada batimento
a cada hora
a cada grito de todos os campanários.

2006/12/14

super-bock

cordão dunar

vais ver que um dia destes o mar ainda vai chegar junto da tua casa.
os falesianos que lutam contra o impossivel ir-te-ão dizer coisas que, hoje, te fariam corar.
percebo-os no seu esforço inglório, pelo que ele tem de inglório.

no meio disto tudo, eu estou do lado das dunas que, afinal, foram à sua vida. toda a simbologia da água é ilustrativa. a força do mar, o curso absurdo de um rio, tudo são purificações porque impedem a permanência.
fixar é matar.
mas é impossivel viver em deriva absoluta.
logo, viver é morrer, em absoluto. não é morrer devagar, um bocadinho a cada parcela de um tempo convencionalmente compartimentado.

e estas palavras são tão absurdas quanto tudo o resto.
a vida que nos resta é, por definição, um resto.

vicious circle blues

i should have told you
forever was just 'til dawn,
but i gotta move on.

it would take a minute but
it took us all night long,
but i gotta move on.

we were so weak
what we had was strong,
but i gotta move on.

we could enjoy
the rightness of wrong,
but i gotta move on.

i refuse to replace
good-bye for so long,
but i gotta move on.

...

in my life of plenty,
i live what i lack,
so i keep coming back.

taxa de natalidade

ocorre-me, enquanto vejo o marco paulo a beijar um homem que expressa a sua emoção naquela metade do corpo que o avc lhe deixou expressiva, que todos aqueles envolvidos no natal dos hospitais (artistas, apresentadores, produtores, realizadores, espectadores...) deveriam pagar um imposto.

cabana dos parodiantes

as mesas, estando em diferentes planos, alinham-se lado a lado.
a senhora do jipe entra e vê as amigas na masa adjacente à minha, onde eu lia, fumava e bebia, enquanto decidia se começava a digestão do almoço... (estava a ver intermitentemente o natal dos hospitais na televisão, e tinha-me ocorrido que o emanuel era capaz de manter aquela expressão facial mesmo que estivesse a ser sodomizado com um exemplar de uma espécie exótica de cacto).
o assento à minha frente e estava vazio: óptima posição para que ela se instalasse e dominasse a conversa com as outras.
- posso?
- faça favor, minha senhora, fique à vontade. a senhora cheira bem e eu nunca mordo às quintas-feiras.
após o calafrio inicial, instalou-se.

2006/12/07

drivin' to work

procuro o habitual serviço da estação
enquanto reparo nas ruínas topless. imagino-me a viver numa casa sem telhado.

adiantemente penso em nada enquanto esvoaçam insultos
no ar ainda húmido: você viu este cabrâo?
respondo-lhe que não (enquanto na estação de serviço passa a canção do godinho "o ás da negação"), que nunca vi um cabrão,
ainda que admita a possibilidade de já ter sido visto por um.

oriento o pensamento para a ideia de ironia ao mesmo tempo que a mulher do cabrão começa a chorar desdentadamente olhando a chapa do automóvel com matrícula deste ano.

lembro-me mais ou menos disto na ponte sobre o rio.
sobre a ponte no rio. julgo ver um corpo a boiar mas não confirmo o julgamento... ainda acabava multado pela polícia.

durmo o resto do percurso, até que a praça de touros me anuncia ao que vim: se não houver gajas com quem conversar, talvez carape. e umas aulas e umas coisas.

elevation

- que barulho foi esse?
- nada.
- o que é que tu fizeste?
- não foi nada.
- diz a verdade...
- fiz merda, pai... fiz uma merda do caraças.

women

2006/12/06

destas coisas geniais não faço eu...

"BOSCH É BOM."... tudo bem - slogan catita, eficaz. um fulano que faz isto só tinha de ser bem pago.
mas um mesmo talento diferente se revela em:
BOCHE É BROM!

o o'neil é que era!

encaste

houve alguém que gostou do poste "phalta".
gostei disso.
parece que gostou ao ponto de o citar.
também gostei disso.

atirei o pau a quê?

sometimes i feel i gato get away,
i gato run away...

don't touch aí please, ai cannot stand the way you tease...

2006/12/05

porque haverá uma hipótese remota, eventualmente vazia e absurda, de a vida não ser vazia e absurda...

feelings...
nothing more than feelings...

feelings, o, o, o, o, o, feelings...

2006/11/29

porque a vida é vazia e absurda

fillings...
nothing more than fillings...

fillings, o, o, o, o, o, fillings...

2006/11/28

aimeemagnoliamann

almoço com tv-cabo

num canal qualquer dizia-se: "cuidados a ter com a utilização de tênis com rodinhas"...
gostei.
é bom ter acesso a informações úteis durante a hora de almoço.
a sério.
estou a falar a sério.
é que, parecendo que não, é um assunto que interessa a muita gente.
não é todos os dias que se contacta com esta realidade, mas que ela existe existe.
enfim, esta é a minha opinião acerca dos "cuidados a ter com a utilização de pénis com doninhas".

bidente (um canino em cima e um incisivo em baixo)

se o homem-invisível me aparecesse assim tipo amanhã à tarde ou assim dir-lhe-ia:
- bem aparecido! não há quem te veja.

cresce e aparece

se deus me aparecesse assim tipo amanhã à tarde ou assim dir-lhe-ia:
- bem aparecido! não há quem te veja.

rapina

como deveis já ter reparado, eu roubo as fotos aqui presentes (excepto em ai tuk deese e afins).
daí que aconteçam coisas giras.
ide ver o post "estou a ficar velho" e podereis constatar a veracidade daquelas palavras.

camisas de vénus

ronda nocturnae


batem-me na porta de rompante
sobressalto-me com a fúria da batida
o seco som torna-se cortante
o torpor do corpo é carne viva

procuram o que nada sabe e diz
procuram o que sonha e que não é
procuram o que não tem país
procuram o que está longe aqui ao pé

de nada adianta a sua busca
não vale a pena o esforço e a procura
na noite há uma luz que o ofusca
vivendo ele num tempo que não dura

não pretendo vender a submissão
não fujo como foge um animal
responderei agindo em inacção
de vida interna viva nem sinal

eles saiem com seu espúrio resultado
de tentar prender quem a si prende
e resto só em corpo inanimado
que está só morto para quem não entende.

mula inox

nada para dizer.
é só uma expressão que tende a acompanhar-me nos últimos tempos. tem uma sonoridade punk-progressista ou então faz lembrar electrodomésticos, mas daqueles para usar na cuzinha.

a explorar num futuro próximo, bem como as potencialidades da imagem de comer melão na cama.

2006/11/21

falta de ar.

ele - .. é uma chatice. quando eu estou nos sítios as estradas boas ainda não estão prontas. na altura em que eu apanhava o ic19, aquilo tudo em obras...
eu - pois.. é uma carga de trabalhos.
ele - eu apanhei os estrangulamentos e tudo...
eu - pois... os estrangulamentos são um sufoco.
ele - ... tu és de quê?
eu - de esferovite.
ele - de quê?!
eu - de fácil digestão.
ele - ...aaaaaaaaaaaaa... já tocou, pois já? são que horas?
eu - é tarde.
ele - essa conheço, é dos gato fedorento.
eu - não. é mesmo tarde para quem vai dar aula. já tocou há um bocado...
ele - ai tu não vais dar aula? é que eu pensava... vi-te por aqui...
eu - não, não vou.
ele - ok. até logo!
eu - cuidado com a.. essa poça de água.

sade is stronger than masoch

2006/11/16

filigrana

ó pai, compras-me isto para o natal?

ai as estrangeiras, as estrangeiras...

- eu gosta muita de os porrtuguesses e das sua incongrruênce, muita poesia, muita tristess, muita entusiasm, muita passion, uma atitud muita melancólica...
- aaaaaaaaaa... é... é a marca da nossa latrinidade.
- comu a tua piquena moustache...
- vai mazé chamar pequenó caralh.....

i felt the urge to upload some shit

eu fui ao jardim rupestre, giroflé, giroflá,
o que foste lá fazer?, giroflé, flé, flá,
fui buscar uma gravura, giroflé, giroflá,
o que tem essa gravura?, giroflé, flé, flá,
tem um auroque gravado, giroflé, giroflá,
e o que é um auroque?, giroflé, flé, flá,
é um mamífero já extinto, giroflé, giroflá,
e quem foi o seu extintor?, giroflé, flé, flá,
foi aquele da parede, giroflé, giroflá,
onde fica essa parede?, giroflé, flé, flá,
fica na zona da linha, giroflé, giroflá,
afinal que linha é essa? giroflé, flé, flá,
é a que está na travessa, giroflé, giroflá,
que é que tem de especial?, giroflé, flé, flá,
destrói o septo nasal, giroflé, giroflá,
o septo ou outros tecidos?, giroflé, flé, flá,
julgo que é só o septo, giroflé, giroflá,
o que queres dizer com isso?, giroflé, flé, flá,
que é só o sebto dasal, giroflé, giroflá,
e por que não a mucosa?, giroflé, flé, flá,
porque eu vi na telvisão, giroflé, giroflá,
e em que canal é que viste?, giroflé, flé, flá,
vi no canal auditivo, giroflé, giroflá,
ai não foi do panamá?, giroflé, flé, flá,
eu não tenho tv-cabo, giroflé, giroflá,
só tenho os quatro canais generalistas, giroflé, flé, flá,
mas ainda bem que falas nisso porque até pode ser que neste natal, giroflé, giroflá,
eu adquira o necessário equipamento de recepção de satélite de modo a poder visionar a imensidade de conteúdos, giroflé, flé, flá,
acessível a todos aqueles que têm ao seu dispor um espectro cada vez mais alargado de oferta televisiva e assim, deste modo, condicionam a sua existência a uma passividade de espectador não espectante em relação às condicionantes possibilitadores de uma eventual, giroflé, giroflé, giroflá, giro, o flã, fléééééé, flá, flácido, ffllléééééé.... i believe in zoidberg, giroflá, e, i, o, u... gira é gira esta berlaitada que te dou, times new roman sucks, o cantil rebolou-me pelo alcantilado, amália lives in baltimore, a sacana.

só para ser do artnoc

esta chuva toda faz-me pensar em seca extrema, em lama a secar ao sol, a abrir brechas...
lama com brechas.

lama com brechas é lamechas.

laranjas do campo, frangos da bahia

existe o conceito "frangos do campo" (independentemente de os que são comercializados em portugal serem produzidos em frança nuns aviários xpto e depois é só levarem o carimbo).
ora, este conceito atraiu a minha atenção (a rapariga bonita e ucraniana (por esta ordem) da área de charcutaria saiu momentâneamente do meu campo visual): FRANGOS DO CAMPO... é bonito, pensei.
- é só?
- olhe - disse eu - eu conheço um fulano chamado vitor baía que uma vez foi à madeira e descobriu uma variedade diferente destes frangos: frangos do meio-campo. tem?
- não percebi...
- como é que se chama?
- frango... do campo.
- ok... bem, vou andando que me parece que estou ali a ver a maria bethânia a chamar-me...

2006/11/15

continuo cansado deste blog

mas isso não me deverá impedir de vir aqui colar com cuspo imagens mais ou menos baças...
a todas as pessoas que frequentam isto, de quem eu gosto de tantas maneiras diferentes ( e nem sempre no banco de trás do carro do outro): ficai sabendo que não foi para ter fid beck que eu escrevi o post, foi porque estava mesmo cansado deste blog.

apesar do fid beck ser uma boa forma de preliminares....

nanismo

a nan disse uma grande verdade:
a goat without a plane is just a fish.

2006/11/14

(suspiro)

cansei deste belogue.

cultura geral

óbvia mente

quem passou ontem, entre a meia-noite e a uma da manhã, na ponte salgueiro maia (é assim o nome, não é? ou será ele inca, azteca ou do sanjoanense?...) compreenderá facilmente que...

offense-deffense

- ó pá, não tens escrito nada lá no teu blog...
- ... e se tu fosses pró arquivo e não me chateásses, hã?

2006/11/13

2006/11/07

lacuna matata

os posts abaixo apresentados estão muito acima das minhas possibilidades!

vistoria

- viste o dini?
- houdinni? vi. quer dizer, ainda agora estava ali, ali em cima, preso com correntes e... e... é impressionante!
- bem, viste ziu ou não, anão?

gnadentod

ok, my dearest hildegard, this time you can stay on top... don't worry, i'll be fine.... just fine... really, i'll be okay... of course i can handle it... i'm almost sure i can... honestly, don't mind me or my well being...

dildoland ou "mierda e puerra que me matas así"

gina, lola, brígida!

- vinde aqui, piquenas! vinde ao vosso consultorzinho de imagem favorito que eu pretendo falar-vos de bigoudis, goudis, goudis...
- (em coro) - hoje não vai dar...
- então, vá lá... dou-vos cristal, mescalina, peyote, vicodin...
- (em coro mas de modo diferente e não necessariamente para melhor) - não tenho nada e tenho tenho tudo...
-
allright!! who wants to be braded?

2006/11/06

água doce

I sit by the harbour
The sea calls to me
I hide in the water
But l need to breathe

You are an ocean wave my love
Crashing at the bow
I am a galley slave my love
If only I would find out the way
To sail you...
Maybe I'll just stow away...

I've been run aground
So sad for a sailor
I felt safe and sound
But needed the danger

You are an ocean wave my love...

martha's harbour - all about eve

slit

animada lâmina
de fio refulgente
conta-me uma história
com final feliz.

telemóvel de segunda geração

- onde estás?
- aqui...
- quando vens?
- assim que puder.
- o que estás a fazer?
- não perguntes...

hiper-poem

meti, gulosa, a mente...
meticulosamente.

meti gulosamente!

2006/11/03

vaporetto

vi o cláudio ramos na tv e gostei. gostei muito.
muitíssimo.
ri.
ri muitíssimo.


foi um dia bom.

muito a sério

estive a olhar com atenção para este blog (coisa que raramente faço) e cheguei à conclusão que o mês de maio é dos mais interessantes.
é pena a maior parte das fotografias rapinadas de outros sítios (com especialíssimos destaque para "as três graças") já não estarem disponiveis, mas isso são ossos de quem anda à chuva...

também vi outra coisa interessante mas não neste blog. mas como é casadíssima e vive um bocado fora-de-mão não adianta falar nisso. aliás, só o referi porque o cabelo assim curto lhe fica muito bem...

"o mundo como vontade e representação"... pois...
se eu quiser posso ter fantasias sexuais com a ministra da educação.
e acho socialmente condenável que só uma ínfima percentagem da classe docente o possa fazer.

falando de mulheres com poder, a mary j. blige tem power. isto pode ser confirmado em vários documentos, mas aconselho o videoclip da canção "one" com os U2 pelo simples facto de esse mesmo documento conter uma cena belíssima em que se veêm os gafanhotos expelidos por bono vox em contra-luz...

.... pois, pois....

(eu tinha decidido fazer um texto grande para dar estilo. uma grande mancha gráfica custa a ler e raramente é lida, mas dá a impressão que quem a produz tem algo de grandioso a dizer...)

dizem que os opostos se atraem, mas para isso é preciso ter os protões no sítio:
Quando duas espécies se convertem uma na outra por cedência ou ganho de protões, estas constituem um par ácido/base conjugado.
Ex:NH3(g) + H2O(l) NH4+(aq) + HO-(aq)
Pares ácido/base conjugados:
NH4+/NH3 e H2O/HO-

(bem, para mancha gráfica, deve chegar... agora com as despedidas e tal a coisa tá pronta)

agora, como diria sousa vaidoso, despeço-me com amizade e até uma próxima oporto needad.
para todos vós que sois pessoas de acção, bem ajam.

married to the sea

2006/11/02

convocatória

- sempre tiveste fantasias exóticas com a minha pessoa, não foi?
- sim. nos trópicos.
- não te vi nos trópicos quando lá estive. e então que tu nessa altura devias ter praí uns 14 ou 15 anos, essa idade tão perturbante na vida de uma mulher...

thorn...



























este será o último post desta série (thorn). deste modo, é este o espinho definitivo.

finalmente os naperons...




















já não falta tudo para que isto seja um blog interessante...

pruridinho beista...

reescrever parte da canção "cripple and the starfish" do anthony and the johnsons é assim tipo pintar mais um círculozinho ou um quadradinho num kandinsky, não é?

his master's voice

hoje acordei muito cedo e deu-me para ler jornais logo de manhã...
e as palavras, outras que não as do costume, de leonard cohen não me saem da cabeça:
there is a war between the ones that say there is a war and the ones that say there isn't.


2006/10/31

esclarecimento

as novidades acerca da gravação e edição do primeiro cd com as minhas músicas estarão disponíveis em local diferente deste.
até agora tem estado tudo a correr bem.
eu depois digo qualquer coisa.

free advice

QUER VER O MUNDO COM OUTROS OLHOS?
CONTACTE O SERVIÇO DA BODYPARTS INCORPORATED!


- assegure-se que os olhos que lhe forem entregues são do tamanho adequado às suas órbitas.
- não se aceita a devolução de olhos expostos a conteúdos culturais de qualidade duvidosa.

free advice

se tiverdes um gato que vos roube coisas chamai-lhe Átila, de modo a que torne claro para todos que o vosso animal de estigmação é, de facto, um gathuno.

2006/10/27

a cor púrpura

há 47 horas consecutivas que está a tocar viola, o inácio. daí o seu tom violáceo.
e o acácio está roxo de inveja.

verde e madura

gosto tanto de a ver lavar os dentes... tantum como o outro.

requiem

2006/10/26

anoário

espartano - utilizador de espartilho
decano - apoiante do deco
fulano - zangado habitual
soprano - de inspiração difícil
milhoverdiano - autor e intérprete de "milho verde". não confundir com canaverdiano
piano - conhecedor do valor de pi até à sexta casa
limiano - que vive no limite, radical
puritano - diz-se daquele que usa regularmente a expressão "sem água nem gelo..."
scalabitano - apreciador de ópera milanês
matarruano - assassino de vias de comunicação urbanas
levi-straussiano - pessoa cujo número favorito é o 501
cigano - habitante de Entre-Lá-e-Dó
somebody shoot me, please...
triplano - fanático por mènages
...

rusty!... good dog!

- ouve lá! boi, em inglês, diz-se ox, não é?
- penso que sim, mas desde que a minha mulher fugiu com com o outro fulano que o meu inglês anda um bocado enferrujado...
- anda oxidado...

why? just why?

o pai dá o pão de ló de lá.
a lã daqui não é de lá e mete dó.

not vila nova de cerveira

(a incluir no repertório a apresentar na sede motard. canto quando eu quiser, e daí?)

linda cerveja
nesta bandeja
bela caneca que os meus lábios beija
espuma de oiro, requinte, plena sedução
festival que nos dá satisfação
baviera, tradição

a dad firelm

calma gémea

- pai, estás a fazer o quê?
- nada. e tu?
- nada.
...
- pai, estás a descansar?
- estou.
...
- porquê?
- porque estive a trabalhar muito.
...
- pois... eu tb estive a brincar e depois vim para aqui, para o sofá... como tu.

besta quadrada

uma desigualdade superior a 5mm entre a saliência da orelha esquerda e a da orelha direita é sintoma de má-criação.

a life's quest

vou escrever tudo o que sei sobre esta vila e elaborar um compêndio.
chamar-lhe-ei: "vilipêndio".

secretismo

"informam-se os colegas que quando faltar algum dos tinteiros da impressora, poderão efectuar a respectiva troca na secreteria"

not me CCVXIII

2006/10/23

AVAtar

fazes-me rir

eu contei-te qualquer coisa sobre beduínos. a tua expressão levou-me, em boa hora, a inquirir:
- sabes o que são beduínos?
ao que tu respondeste:
- não são aqueles com o cú cor-de-rosa?
- duvido...

também não são os orangotangos argentinos.

2006/10/21

mal de família, parte II

o texto em itálico corresponde a um excerto de uma conversa entre a minha mãe e a minha tia, que amiúde comunicam através de palavras inexistentes como se elas existissem, ou melhor, como se fossem as palavras habituais da língua portuguesa. uma espécie de dislexia familiar.

mamãe - está risse a pataraia?
titchia - não. está patarice.

eu - vocês são duas pataroucas...

tradução:
- está ensossa, a raia?
- não. está boa.

mal de família, parte I

encontrava-se a minha tia numa festa informal que decorreu cá em casa e onde um porco rodava, alegremente empalado, sobre carvão incandescente.
após constatar o ambiente animado e a simplicidade do evento (dresscode inexistente, talheres e copos de plástico, livre circulação de pessoas e bebidas alcoólicas, enfim, uma espécie de piquenique com acesso a casas de banho...) e antevendo uma eventual festa de casamento do seu único filho para a qual não teria grande pachorra, confidenciou-me: era tão bom que meu o meu filho casasse com um porco assim na rua, ao que eu respondi: não sei se a nossa legislação se irá modernizar assim tanto...

2006/10/20

gosto. e depois?

H2O

a água benta é mais fácil de contrabandear do que as águas-furtadas, dizia eu porque vinha a falho de coice...
é por causa da interpol e das secretas e assim.


este fadinho é dedicado àquela pessoa que, mesmo sabendo da verdade em relação ao marco, nunca me julgou pelo facto de eu e a branquinha sermos os pais zoológicos da heidi.

quando eu era rapazote, levei comigo no bote... um escadote.
namorei e gostei dela, e encostei-lhe à janela... o escadote.
às vezes uma pessoa, a idade não perdoa... e cai-se do escadote.
mas aprendi a lição, e agora do escadote... fica a recordação. (e uma pequena cicatriz junto à sobrancelha esquerda)

2006/10/19

to me or not to me, CCXXXIV

- estive a ver aquilo e reparei que a maior parte do que lá dizes não faz sentido...
- faz, faz!
- como podes dizer isso?
- é fácil: fecha a porta, apaga as luzes, vem deitar-te a meu lado...
- 'tás a cantar as doce?
- as ninfas são as tusas do Mejo:
e entre gente remota edificou
um blog que só meia dúzia de criaturas sublimou.
- vou-me embora!
- não vaias...
- não se diz não vaias.
- não vás. não saias.

luta de classes

- guilhermino, faça-me a fineza de ser grosseiro.
- à vante ou à ré, ó vítima da fome?

algemas de peluche

- por Itano! conheço uma senhora que se chama amélia mas a quem todos chamam teté. suponho que memé não soaria bem. outra, de nome adélia, é conhecida por dedé... ora dedé é bidé.
- por Ali! tens toda a razão. eu tenho sangue azul por parte da mamã e por parte do papá, o que lhe confere um tom mais escuro, logo sou biDom.
- por Akulá! fazes-me lembrar do outro que gostava de ir às festas do jet-set comer cromeleques.
- por Falarnisso! ainda hei-de menir embora sem experimentar o espartilho e o cinto-de-ligas.

enquanto isto

no meu curso de cestaria, a minha colega de mini-saia sentou-se junco da verga e eu vime. depois ela virou-se para mim e disse: quem faz um cesto faz um assento.

bravata

- let me introduce you to my brave friend.
- did you say boyfriend?
- ... i guess hes just not brave enough...

booty

o termo abundância faz-me lembrar de uma menina numa discoteca em cabo verde... e a sua forma de dançar.

2006/10/18

my mood

thorn

cliché

é tempo de apanha da azeitona cá no kibutz e a minha intervenção tem dificuldade em sair do lagar-comum.

mecânica

os automóveis têm peças com nomes interessantes, por exemplo, os veios de excêntricos e longarinas.
no primeiro caso, sempre associei o termo a minas de dandies ou extracção de freaks. no segundo, sempre fui levado a imaginar raparigas suecas remando, em tronco nú, em drakkars ou knarrs vikings.
também sempre tive dificuldade em viver a 4 tempos. nem sempre fui admitido, nem sempre fui comprimido, nem sempre ocorreu explosão e, principalmente, nem sempre consegui escapar.

sempre gostei da expressão drakkar noir.

todá verdade

a minha velha enciclopédia disse-me algo que eu sempre suspeitei:
autópsia - exame de si próprio...
logo eu que desde que me conheço nunca me senti assim lá muito bem...

2006/10/13

por quê carapaus se pode ter isto?

moda 2006/2007












martin gore, no clip de "i just can't get enough" de 1981...
parece que a moda funciona em ciclos de 25 anos...

universos paralelos

imagino-nus a comer juntos e a rirmo-nus até às lágrimas e eu a engasgar-me com o tagliatelle carbonara e vivendo num sítio em que a lavagem da louça seria sempre pós-coital e houvesse sempre um pau de canela para mexer o café e tudo batesse certo e fizesse sentido.

still kicks in...

2006/10/12

holy sinners

maizena com nestum

maizum!

mega-produção

um orgasmo masculino implica trabalho para milhões de figurantes de vários tipos: croll, bruços, costas e mariposa.

found in translation

mandar postas de pescada diz-se postagem.
em inglês diz-se post. exº: post what that was before it was what it is, i.e., fished fish.

quebra-tolas

há 3 falos e uma vagina artificial invisível no post: silêncio que se vai blogar o fado.
detectem-nos-zi-os, ó faxavôr, se o forem capazes.

andrologia

- parece-me que o senhor está obcessivamente focado na quantidade e está a descurar a qualidade...
- aaaaaaaa... doutor, por favor... diga-me que está a falar do meu blog.

griffe

eu até nem ligo muito às marcas, mas comprei umas canetas nos chineses que aquilo no bolso das camisas é tiro e queda a rebentar...

1054/1067 ou cruzes canhoto

- com esta história das cruzadas que nunca mais acabam, a minha ama D. Urraca de Bergonha tem passado uma fomeca tão grande que já acrescentou mais dois furos ao cinto de castidade.
- de que ano é esse cinto de castidade? qual é o modelo?
- 1053. fuckoff deluxe, special edition...
- já crakei esse. a password é: juicytemplar...
- fixe. agora vê lá se tens cuidado com esse martelo, que já me basta estar sentada nesta bigorna tão fria...
- tásse...

not turim

- sabes onde é que eles estão a dar sudários grátis, mas mesmo daqueles grátis, hã, sabes onde é que os dão, daqueles mesmo grátis que a gente olha para eles e...
- no sudão?
- aaaaaa... ouve lá, tu não és o autor do medium-seller "all you have to know about anal plugs"?
- por acaso até não. (falando agora para a enfermeira) - espéculo nº 15, por favor.

sem saia sobre a cegueira

milagre!
eu queria ver e não podia.
tu aproximaste-te de mim e disseste: abençoados aqueles que sabem o que querem. vê!
e eu vi.

e, como diria o capt. romance, dos tornado violenta: eu vi, mas não agarrei.

10 aço cego

desde que comecei a ler isto que, sempre que tomava contacto com as referências a "umas ilhas no Sul... ilhas do Sul..." a minha imaginação me levava para paraísos de beleza litoral.
mal de mim, peguei numa "visão" de há uns meses largos que por aqui anda abandonada e vi claramente o aspecto dessas mesmas ilhas:
chamam-se deception islands, e são habitadas por pinguins.

exotérica, ou as aventuras de um vândalo semi-analfabeto

"exotérica? ", pensei eu enquanto me dirigi para aquele grafitti de que só tinha lido aquela palavra, insólita naquele desconhecido contexto.
depois, aí sim, li:
(nome anos noventa, tipo soraia, vanessa, cátia ou afim) fode como uma louca, grita como uma extérica.

achei por bem contribuir para a decoração das vilas ribatejanas acrescentando a marcador preto, um pouco ao lado do grafitti original:
cremilde grita como uma exotérica.

um dia bom.

2006/10/11

silêncio que se vai blogar o fado!

simon and garfunkel - live in guarantikatoaru

god bless you, please, mrs. robinson crusoe...

confissão CCCLXXI

uma vez li um conto (sim, foi no tempo da moeda antiga) de um autor pouco conhecido em que a personagem principal dava pelo nome de Lightfeet. esse texto continha uma descrição pormenorizadíssima do acto de urinar levado a efeito pelo dito Lightfeet, que, por sua vez, não se tinha podido conter.

you're beautiful

a beleza interior pode ser, mas as praias... as praias!...

já li toral, mas foi um autor que não me disse muito.

Afinity, by Caldin Kai

not thorn



patriot missile

- pois, é sempre a mesma história. só porque é em estrangeiro parace que soa melhor. mas nós temos a palavra adequada: de-sem-pe-nho! está a ver? desempenho! qual performance, qual quê? usar a palavra performance quando pode e deve usar o termo desempenho é uma gaffe tremenda! é pouco patriótico. temos de defender a língua de camões e de pessoa. como é que portugal se pode afirmar como um país decente no mundo de hoje quando nem na lusofonia, a despeito de todos os pergaminhos e pecadilhos históricos, se consegue afirmar. ou se se afirma, é em língua estrangeira. faz statements nos meetings! por isto é que até as criancinhas já nem português falam, falam aquela conversa das novelas que já ninguém entende. eu até sou fã das novelas portuguesas... os actores teêm um bom desempenho. desempenho, reparou? e não performance. pode parecer excesso de...
- desculpe, mas tenciona aviar-me as duas caixas de viagra e o saquinho de pau de cabinda ainda hoje ou prefere que eu volte mais tarde?

ando a ler (e sempre senti) isto...

tudo me interessa e nada me prende. atendo a tudo sonhando sempre; fixo os mínimos gestos faciais de com quem falo, recolho as entoações milimétricas dos seue dizeres expressos; mas ao ouvi-lo, não o escuto, estou pensando noutra coisa, e o que menos colhi da conversa foi a noção do que nela se disse, da minha parte ou da parte de com quem falei.

10 aço cego

Eva Gina

taras bulba! (com yul brenner e tónho curtis)

idem

- nem imaginas como eu me sinto...
- então?
- a minha mulher traiu-me exactamente como fez ao seu 1º marido: com um colega do escritório, em cima da xerox!
- aaaaaa... sentes-te uma... cornucópia?

2006/10/10

cor-de-rosa

a marina mota não quer comentar a separação de oceano... está em blackout.

anil quilate

fazes surtos em surdina,
és serpente, serpentina.
comes-me as papas na cabeça,
fazes-me o ninho atrás da orelha.
viras-me do avesso,
usas-me como arremesso.
em toada mansa toda tua,
em toalha, em dança, toda nua,
como um brilho opaco de vitral,
és dionísio, és baco, és vestal.

em galopante crescendo, turbilhante, fraco e forte
revives uma imensa pequena morte.


not carapaus














lentilhas (ou arquipélago vagaroso)
com tamarindo e gengibre.

este blog é uma seca!

PREC

- aaaaaaaaaaaaaa... eu acho que já não quero esta revolução.
- pois, mas não se aceitam devoluções.
- nesse caso quero ketchup, mayonaise e mostarda, para disfarçar.
- farsar, já disse.

o seguinte texto encontra-se rodeado por um círculo de lápiz-lazúli:
o autor deste blog é um homem triste e cheio de problemas. quando finalmente arranjou coragem e se declarou, no laboratório, à sua colega bióloga, esta deu-lhe com um macaco congelado na cabeça. o plágio é a melhor forma de sacan.., digo, homenagem.

H2SO4

- se eles começam a dizer mal dos gajos do sul eu tenho uma fúria.
- não sejas sulfúrico.

tentemos desejar só coisas possíveis

gostava de ir de noite à praia da tocha e acender um archote à beira-mar.

honeymoon

pretendo parabenizar il nuovo secretario generale da ONU, digno representante, não de samora correia, mas da correia do sul.
e por ter usado a palavra parabenizar pretendo imergir o meu braço esquerdo em H2SO4.

lar de 3ª idade

cotas fora do baralho.

nabucodonosor

era uma vez um bruto que tinha um trabuco. certo dia, um jacobino com cara de nenuco chamou eunuco ao bruto do trabuco e levou um tiro de trabuco no cú. poderia ter sido diferente se em vez do jacobino com cara de nenuco ter chamado eunuco ao bruto do trabuco tivesse engolido um saruga enquanto manducava. aquilo sarava e pronto.

repito dourado

- quando se está sozinho não tem metade da piada...
- mas tem uma pitada de piada.
- pois, tem pitade.
- nem vou perguntar a raiz da palavra pitade. mas voltando ao que interessa, prefiro a frase "ter na boca a espuma de alguém". é mais forte assim, não era?

2006/10/06

on the top

just bloggin' under a full moon and above all south...
mas está vento comó caraças.

agora até tenho companhia, mas quem me manda vir blogar para o namoródromo de serviço?

que cera, cera

- fica ciente que eu sou muito ciosa das minhas pernas.
- e esse cio não será pernicioso?

2006/10/03

loveable unperfectness

eu gosto um bocadinho de meu blog

mas também gosto de um pecadinho... vou ver a fauna deste sítio.

toma lá uma nega...

- então, ainda estás lá em cima, na montanha?
- não.
- então estás onde?
- não.

vício antigo

- hummmm, vejo que voltaste a fumar...
- assim é, com efeito...
- o sg-light do costume?
- sim, mas estou a pensar em começar a fumar carapall-mall...
- desculpa?
- 'tás desculpada, não tem importância. digo-te mais, quando quiseres que eu te fotografe não uses lingerie, detesto nús com marcas de elásticos...
- tu estás doido!
- não ligues, é da banda gástrica que eu coloquei na semana passada.
- TU tens uma banda gástrica?
- não.

almost me

it's my blog and i'll do as i want to...



tá boa, esta...

há ribatejo para além do tejo e há gente para tudo e há males que vêm por bem e há ir e voltar, pináculo de catedral, contraponto, sinfonia, em cena de noite e de dia, o espectáculo principal.

piccolo disegno italiano

lamber um órgão de pequenas dimensões diz-se "lamborguinni".

pedido de ajuda

precisa-se palavra com 3 sílabas que rime com "búzios" para inclusão em ode marítima.

precisa-se de receita de feijoada de búzios (troca-se pelas instruções de "como fazer fogo a partir de uma pantufa em forma de coelhinho e uma casca de búzio").

Como chegar à bílis do búzio, vulgo busílis?

highlights de clube motard

- ouve lá, mas afinal a maioria dos homens tem o sexo com curvatura para a esquerda ou para a direita? - perguntou-me ele. (elas riam, entretanto)...
- para a esquerda em 87% dos casos. - respondi eu com a segurança óbvia conferida pela indicação de um número ímpar. (o silêncio delas era de uma anuência gritante)
- a sério? - voltou a perguntar.
- sim, tu és um freak!
(elas pediram mais 4 cervejas)

beginner intermezzo

voltar as costas ao que sempre é e será
e descer a um mundo que anuncia.
deslizar como se a contra-gosto até à água-prometida
que passa sob quem passa sobre em cadências regulares a cada espaço.
agora vejo campo.
agora vejo trabalho.
agora vejo um eterno campo de trabalho.

2006/10/01

requiem pelo blog "ultralevur"

i did it my way!

back and forth

fui um bocadinho feliz no topo do mundo... mas agora estou de volta ao ribatejo.
o colete encarnado e o barrete verde não são o meu estilo, mas aquela meiazinha de renda acima do joelho...

salvé! terra de melchior, gaspar, baltazar, alexandrino, houdini, tozé, maria alva, nabucodonosor e vanessa cristina.

downhill

istou dji vóuta pru meu aconchego...

2006/09/29

tó rada

entrem vacas bravas e capotes, e mantilhas pretas.
entrem gajas boas aos magotes, força nas canetas.

no self esteem

mi linka, vai...

2006/09/26

devo isto à memória da minha identidade

existenz

às vezes sinto-me tão completamente....

2006/09/25

e tive eu aulas de árabe...

alcoitão tanto poderá significar "experiência de cariz sexual particulamente interessante" como "situação grave e danosa ocorrida na vida de alguém".

(the not so brave sir robin fled away with his tail between his legs)

em vez de ir ver o mar...

ao honório ninguém leva a palma em oratória, apesar de ele cometer erros de palmatória.

tabuada

1x1=1
1x38=99
2x4=7,987654321
3x3=1+1+2+1+1+2+1
366= (+ ou -) 365

elegant birds make lowsy dogs

flux

a torrente de um rio invernal, no seu fluxo caótico e lamacento, tem uma vida própria, inependentemente da vida que ela possa conter. talvez tenha sido bom agitar as águas de um lago que, em certos dias, parecia de água choca.

a cheia fecunda aquilo que destrói.

2006/09/24

this is what happens when you look for your roots...

brain lint CXXII

ele arranjou uma cunha na fábrica do cimento porque tem muitos cunhecimentos...

david

- hume deu-me azar...
- noto que o dizes com azedume.

2006/09/21

stalker

- ó professor, eu gostava de seguir qualquer coisa relacionada com a saúde...
- e fazes tu muito bem! afinal o que não falta por aí são enfermeiras, médicas e terapêutas sortidas giras para serem seguidas...

2006/09/19

not beach

erotica

quarto triangular
papéis avulso
vizinho ressonante
mimosas, muitas mimosas
danger ahead
granito
leitaria estrela de alva
estrela em ascenção
estrela cadente
ovo estrelado
puta que pariu
sandálias com meias
n-17
ip-3
ic-6
06/07
200 e picos

2006/09/15

qualquer dia linko-me...

andei a alterar os links dos carapaus.
eu linko o que posso e o que não posso.

top post

estou a viver num pesadelo de granito!

2006/09/11

skid creole

- you bet coconuts migrate!

not art

faz hoje cinco anos que eu estava a pintar o interior da minha casa...

2006/09/09

c'oa mecca!

naquele tempo era tudo muito confuso na sua cabeça, especialmente relativamente aos cultos e religiões, mas ninguém duvidou dele quando ele disse que tinha feito um minarete à papisa.

- are you suck gesting coconuts migrate?

cash flow

- epá, já não tenho dinheiro! espera aí um bocadinho que eu vou ali num instante ao multimanco.
...
- então, já foste ao multibanco?
- não fui ao multibanco. o tipo que me empresta dinheiro é manco em mais que uma perna.
- hummmm, estou a ver... o meu primo está ali na feira a enrolar um churro. ele tem sempre fartura de churros.
- e ele está à nossa espera?
- dado que eu sou o bispo, a minha chegada a qualquer sítio está sempre eminente.
- uma vez o eminem deu-me miminhos...
- are you suggesting coconuts migrate?

2006/09/08

rept in peace

- lanço-te o repto de te manteres na linha...
- não sejas reptilínea!
- és mesmo parvo! devolve-me já o pacote de gomas!
- nhão chei che chobrou auguma...

2006/09/04

à volta daquela igreja...

tenhai atenção e redobrai cuidados face à vaca de calor destes dias.

2006/09/02

o amor é fofinho

kumbaya

os outros têm a culpa toda de todas as coisas más que me acontecem.

hidden thorn

2006/08/31

random photos


filme português, dobrado em português

partir é morrer um pouco, mas podia ser pior: ficar é apodrecer um pouco.

vírgula

se tu pudesses ouvir tudo o que te digo e se eu te pudesse dizer tudo aquilo que sinto e se nós pudéssemos viver tudo o que sonhamos e se pudéssemos sonhar tudo aquilo que queremos e se pudéssemos querer tudo aquilo que amamos e se pudéssemos amar tudo aquilo que temos, sem nada temer...

teen

a tina tem a lata das latinas...

2006/08/29

muito melhor do que a minha versão...

penduricalho

carimbo do veterinário

este belog tem alguma coolidade...

pou café

só é querente quem quer...

not blowjob

tubi or notubi

às vezes ser anónimo é anódino.

2006/08/28

pas de deux

liberalidade nas promessas é promenade.

2006/08/24

not fennix

lã geri

miranda sex garden


this must be under water love...

spina líbida

os teus olhos brilham muito enquanto falas
e do movimento das tuas mãos
há cornucópias
que se desprendem batendo as asas.

sabes perfeitamente que sou incapaz de me concentrar nas coisas que dizes quando te sentas assim.

confissão CCXLIV

não sei fazer recensões (críticas ou não) de livros e nem tenho bem a certeza se é assim que se escreve...

2006/08/23

bitaites de bola

se o inter tem tirado o crespo para a entrada do grosso, o resultado poderia ter sido diferente...

2006/08/21

thorn

os piratas das caxemiras...

preferem os quadrados nos corsários e os triângulos nas bermudas.

os flibusteiros flipam com o embuste.

2006/08/19

as berças da serra

fui promovido!
de uma serrazita de nada passei para uma serra de uma certa categoria.

2006/08/16

2006/08/15

* * * * *

ao ocaso

e eu disse:
- behold our beloved star while it plunges gently into this magnificent ocean and we as in a prayer look at each other mutually recognizing that special glow wich is proof of some sort of inner bliss. and as certain as we are all mortals, this is doubtlessly an event worth to be lived.
- hã?
- nada...

a loucura das férias

li a erva vermelha de boris vian com mortalhas no bolso.

cassandra lola

conheci uma andaluza muito pessimista que cantava reggae...

strictu sensu

as pessoas sensíveis ao incenso são incensíveis.

noir

i'm black!

2006/07/31

ex-files

eu podia chegar aqui e anunciar que ia de férias para um paraíso tropical qualquer e que esta coisa iria andar (mais) ao abandono e mais não sei quê... mas não o vou fazer.

o charuto-acabaçado desta altura já chegou e eu vou ser submetido a uns testes e umas coisas na galáxia onde os meus compadres estiveram no ano passado, que nós vimos uns slides e uma brochura e eles dizem bem daquilo.

adeus e até ao meu expresso.

pimba!

a partir de hoje entra agosto!!!

poop ilha

as pupilas do senhor reitor são as meninas dos seus olhos...

sympathy

uma palavra de conforto para todos aqueles que padecem, padeceram ou (há gente que não aprende) padecerão de queimaduras de alcatifa.

2006/07/30

húmus com míldio

sou mais humilde que vaidoso, apesar de ter todas as razões para o ser...
isso irrita-me.
a arrogância é mais gratificante.
vou comprar um desumildificador...

2006/07/27

BD é bidé sem consoantes

- na bd, quando alguém tem uma ideia surge junto da sua cabeça uma lâmpada...
- claro, é para que essas pessoas a possam esfregar.
- esfregar?
- sim! de onde pensas que vem a genialidade de certa gente?
- percebo... esfrega-se e solta-se o génio.
- às vezes só se solta o mau-génio. outras vezes esfrega-se por outros motivos.
- hummmmmm... (pausa) posso dar o cascabulho da minha maçã ao mark twain?
- não.

nódoa

- que grande nódoa aí tens. é coca-cola?
- é capilé, que eu vivo noutros tempos.
- está cada vez maior...
- já te disse que é capilé... alastra por capilaridade.

torre de babel

nas situações de instabelidade comem todos por tabela.

não gosto dos meus vizinhos

ofereço cardápio de lares para larápios.

i'm just gettin' old...

breakfast talk

M - ó pai, eu não percebo o que é diabetes...
P - blá, blá, ..., hormonas, blá, blá, ..., açúcar, ..., blá, blá, ..., produção de insulina, blá, blá, ..., factores hereditários...
J - hereditário é jogar à bola.
M - como?
P - blá, blá, ..., seringa, blá, blá, ..., caneta, ..., pele, ...
J - A pele e as pernas dos calções a jogar à bola.

2006/07/25

i'm guided by the beauty of the weapons...

bad look

this is it!!!

este foi o blog que me levou a contaminar o digníssimo espaço da blogosfera com as minhas coisas...

2006/07/20

to mia or not to mia

dar uma papoila é uma maçada, moçoila.

espera aí que eu salvo-te com o canivete de cortar o melão...

wheel

a juzante de toda esta festa
de modo e tempo assim tão singular,
haverá no pouco pó que ainda resta
o fumo da cinza aonde regressar?

valiant, o maior da zona de pombal.

columbófilo?
é feio, dá trabalho a dizer e tem ar de que se padece de doença não fatal mas que provoca muita comichão.

vou ser pombeiro.

old school

- eu não sabia que nos anos oitenta havia uma banda chamada gaja cu cu...
- mas havia.
- havia?
- havia.
- havia?
- havia, mas era mais caro.
- não sei se deva acreditar em ti... não confio em tipos que andam descalços em plena rua.
- um cavalheiro não se distingue pelos sapatos, ao contrário do que se possa pensar. distingue-se pelo pé digri.

sting-ray; ray-ban; satã

- o teu blog tem andado um bocado parado, não?
- sim, mas o gozo não é menor. é assim tipo um blog tântrico. já reparaste que os liliputianos poderiam utilizar os contornos de cada pedra da calçada portuguesa para desenhar as várias casas do jogo da macaca?

pescadinha de rabo na boca, a tarada...

a maria gosta dos xutos e os xutos têm uma canção chamada maria.

2006/07/17

sofá verde

dorme-se mal, nos hospitais.
mesmo quando se vê o tejo e os jovens que nele canoam.
o sofá de um verde indescritível e as dores de ter filhos não me deixam dormir.

2006/07/12

photo time

geração mtv

uma vez vi um filme que continha a apresentação mais explícita que se possa imaginar de pezinhos de coentrada...

assustador!

proto-colo

estou a fazer as convocatórias e estou a lembrar-me do peito ancestral, arcaico e original.

falta de oxigénio no cérebro

- como é que se chama aquele arquipélago onde tudo acontece mais devagar?
- lentilhas.

FNAT

divirta-se, que só se vive meia dúzia de vezes!
caso não seja circuncidado, experimente esta nossa proposta!

material necessário:
1 furador de escritório.
1 esferográfica bic ou similar.

modo de operação:
coloque o furador da extremidade da sua mesa de trabalho.
coloque a esferogáfica transversalmente na boca e morda com firmeza.
prima firmemente a pele do seu prepúcio entre o polegar e o indicador (para melhores resultados utilize a mão com que se costuma masturbar).
estique o seu prepúcio de modo a colocá-lo na trajectória de (pelo menos) um dos veios de corte do furador.
com um movimento rápido e sem hesitações, prima fortemente a alavanca do furador.

adorne o(s) orifício(s) resultante(s) a gosto e divirta-se a arranjar desculpas que justifiquem, perante os seus colegas, a retinta cor azul-celeste dos seus dentes.

na próxima semana voltaremos ao tema: "the puppetry of the penis e o seu agrafador".

as conversas são como as cervejas...

agradeço à eufémia todos os eufemismos que usa e (sempre) usou quando se refere à minha pessoa.

as cervejas não dão lá muito bem para fazer brincos, não obstante o seu poder diurético.

é isto mesmo...



sim, eu sei, às vezes tenho um comportamento meio obssessivo.
gracias

granada é no sul de espanha.

ó duarte, e que tal se nós, como ribatejanos, fundássemos uma granadaria?
afinal de contas este país tem uma longa tradição de granaderos.
com quatro ou cinco vacas boas e um semental de qualidade, poderíamos estar a produzir as melhores granadas do mundo daqui a dez anos...
vá, diz lá! o que é que achas aqui desta ideia do teu tio padrinho?

confissões DLXXIII

i am a sinful fool.

dedicado à diana

"queres um corpo VAQUEIRO? come mais!"

2006/07/11

post-modern

não estou muito preocupado com a beleza ou a originalidade destas palavras (não garanto que alguma vez esteja). apenas quero registar a decisão de um dia destes postar qualquer coisa acerca do último episódio dos 7 palmos.
os 7 palmos (como os 7ª legião ou os 7 pecados capitais) são um produto de uma sociedade em profunda crise. pode ser que a crise só exista na minha cabeça, mas isso não é importante.

vamos ao que interessa:
ALVÍSSARAS A QUEM SOUBER QUE CANÇÃO ERA AQUELA DA SEQUÊNCIA FINAL!!!

não consegui ler a ficha técnica.

2006/07/05

"a vida sexual de cathérine m."

... é muito diferente da minha.

exaust

há uma ligação secreta de ligações invisíveis entre os nossos corpos e outros corpos, entre os nossos membros e outros membros de outros corpos, num jogo delicadíssimo de fios e roldanas, tão eficaz quanto microscópico, em que os movimentos são simétricos, após processamento, aos que lhes dão origem.
há alguém que caminha para o nosso passado, alguém que se ilude e deixa iludir no vértice oposto do nosso cinismo.
há alguém que, simetricamente a este quase inócuo martelar em teclado de computador, está a acompanhar com os dedos a linha curva e multicurva de um tronco de videira (e consegue mudar o mundo com isso).
há uma ligação ainda mais secreta de ligações muitíssimo mais invisíveis entre os nossos pensamentos e outras ideias de outros pensamentos, numa rede de jogos delicadíssimos de cabos e cabrestantes, de cordas e diferenciais, fios e roldanas, tão eficazes quanto microscópicas, em que os movimentos são simétricos, após processamento, aos que lhes dão origem.

alguém deve ter pensado na medalha de ouro que se vai oferecer ao afilhado recém-nascido enquanto executava um movimento rotativo e descendente, empurrando e torcendo, com as mãos, uma esfregona num balde de plástico. alguém deve ter dito adoro quando cortas as unhas dos pés sentado na cama e bocadinhos de unha sobrevoam o quarto e colam-se no meu cabelo.
o nate diz que existe demasiada electricidade estática.
há pessoas que vêem uma certa luminosidade através de uma nota enrolada ou de um martelo...
"já tentaste apanhar apanhar os teus próprios dentes do chão com os dedos partidos?"

este blog é uma seca...


com os óbvios agradecimentos...