2010/12/28

cool tune...



optou-se por este clip porque sim. mas aconselha-se muito vivamente a visita ao canal da mecinha no iutube e no myspace e onde mais houver...

2010/12/23

frases para t-shirts X

SEXO RADICAL:
(he) FAST AND (she) FURIOUS

statement

"a arte de morrer longe", de mário de carvalho, é um belíssimo livro.
 tenho dito!

frases para t-shirts IX

esta frase destina-se a uma t-shirt

frases para t-shirts VIII

a loucura é um ponto de vista demasiado exclusivo

frases para t-shirts VII

a divagar se vai ao longe.

2010/12/22

xmas gift

para gládio (como alguém uma vez me disse) di tutto il mondo, cola-se aqui a primeira curta metragem produzida cá pelo je. é tão somente o popping the cherry da máquina fotográfica, mas, após a ingestão das substâncias certas, podemos nesta footage completamente experimental encontrar simbolismos que sim senhor...
já agora, há uma diferença entre texto normal e itálico. chama-se a esta diferença, aqui, mariquice.

nota mental

gravar mensagem de natal e isso...

logística sine qua non:
limpar o escritório
ir buscar os fatos à lavandaria
procurar uma gravata decente
arranjar uma jolly roger, para colocar em pequeno mastro cromado (cravar o da junta)
passar a dita a ferro, que quer-se uma coisa de categoria.

2010/12/21

good-mood-mania

god's gift to women is leaving the building!

progenitura em auto-definição

eu, que sou um bom garfo e um mastigador aceitável...

2010/12/20

as coisas que a gente toca (com harmónica e tudo)

morning tune

moagem

após uma sessão contínua com a colega de moral, em que eu estava numa de terraplanagem e isso, rematei "mas tu não me ligues, eu sou o demónio...", frase que foi alvo do comentário de terceiros (terceira) "you wish."
exemplos de terraplanagem:

x - mas tu não achas que se deve educar para a sexualidade com amor?
eu - sim, mas amor à bruta. nada dessa treta de chove-e-não-molha...

x - ... depende da forma como abordas o amor...
eu - às vezes abordo-o por trás...

x - a sexualidade com amor é melhor.
eu - olha que ouço dizer que a sexualidade with no strings attached pode ser muito cool. devias experimentar um dia destes. como preparação psicológica aconselho-te a canção "so hott", de kid rock.
sobre o amor sem sexualidade posso opinar com propriedade...
x - platónico?
eu - não... frustrante...

ah, os engenheiros...

esta gente consegue pensar em hidráulica na boa... e a hidráulica também na boa.

yo soy un melómano

gosto muito do som dos instrumentos de córdova...

as coisas que a gente vai lendo...

também está na mesa de cabeceira. (não se tem lido à hora de almoço)






espera-me lá em baixo, mas, dado o adiantado da hora, talvez não se acabe hoje...
mas vou já adiantando que, salvo as respectivas proporções, me revejo naquela forma de escrever. i.e., tenho partículas daquilo, que este mário de carvalho é um senhor.

2010/12/19

antevisão

não vão v. exas. esquecer-se de ir aos links, nomeadamente ao "paixão"... aqui fica isto:

2010/12/16

pontos sensíveis...

no jantar a três, no outro dia, cantou-se isto acapella... os putos a bater palmas em compasso. foi cool. sempre preferi a versão do terence trent d'arby à dos jackson 5...
e ver esta versão agora impede-me de tentar brincadeirinhas parvas com a guitarra e a câmara... foi descolhoante.

the back of my brain

há dias, numa conversa séria com uma pessoa séria, estava a pensar que um diminutivo carinhoso para o nome (já de si diminuto) de lara poderia ser larica, num caso específico.

o restolho dos dias simples

cenário: casa da mamã
situação: almoço em família, o natal dos hospitais (haja saúde) a passar na tv
personagens: papá, mamã, cunhado e eu

eu - outra porra... vira-se um gajo para a televisão depois de ouvir esta voz, à espera de ver uma fulana com um bom corpo para cantora e sai-me um tipo chamado leandro...
pai - este leandro não fazia parte do "leandro e leonardo"?
cunhado - não. esses são brasileiros...
pai - pois, mas um morreu...
eu - pô, cara! tu tá ficando esclerosado mêmo...

2010/12/15

rede social, malha fina...

acho que o facebook tanto dá para encontrar pessoas desaparecidas como pessoas aparecidas...

frases para t-shirts VI

amar e mar, ir e voltar

a bem da argumentação

foda-se... se há coisa que tem pinta é contrapor um poeta português a um psicólogo russo!!!!

2010/12/14

especulação ou "boa constrictor"

- é constrangedor...
- é constringente. e falo alegremente do ponto de vista do utilizador...

partilhar o sentido de humor pode ser tão bom quanto partilhar uma cama...

2010/12/13

reequacionamento

leio as pessoas nas suas reacções àquilo que eu digo de mim. isto não é necessariamente mau e não sou motivado pelo desejo incontrolável de falar de mim. é antes uma estratégia de defesa em relação a alguns silêncios. a quase todos os silêncios, talvez, excepção feita a alguns em contextos de saciedade, sublimidade ou puro terror...
considero-me um bom leitor disto...

mas casos há em que isto não funciona. são raros estes casos, mas nem por isso menos interessantes. será antes o inverso. pode dar-se o caso de eu estar condicionado a este modo, a esta abordagem.
e há leituras que se impõem, digo eu.

que beleza tem uma escultura de miguel ângelo que se encontre desconhecida e soterrada?

2010/12/11

bocas que são mundos...

art attack

joana soberano, cujo trabalho é muito apreciado nesta casa (e com quem se aprendeu muito em 2005), tem exposição nova: diz que é na galeria sete em coimbra, pelo menos até janeiro. por via do puntila não pude ir à inauguração e o catano!
aqui fica um exemplo do que se pode lá ver:


é óbvio que, por aqui, também se gosta do que dói...

dose dupla

há muito tempo que acho muita graça a esta mecinha... aqueles sapatos a marcar o ritmo são assim uma coisa...


e li isto algures "an enigmatic front woman, Adele Bethel, who was recently voted the world's second sexiest vegetarian"...

small talk...

eu - tu tens a carta?
ela - não... escrevem-me, de vez em quando...
eu - então não podes conduzir....
ela - se eu não tenho a carta não ma podem tirar.
eu - mas sabes conduzir?
ela - aprendo...
eu - até amanhã?! sabes meter a primeira, pelo menos...?
ela - sei.
eu - .... uma vez vi um filme em que uma rapariga meteu a primeira e depois meteu a segunda...

em vez de construir um portugal melhor...

andei pelos arquivos e encontrei uma coisa num post chamado "mecânica".

também sempre tive dificuldade em viver a 4 tempos. nem sempre fui admitido, nem sempre fui comprimido, nem sempre ocorreu explosão e, principalmente, nem sempre consegui escapar.

2010/12/09

na pior das hipóteses...

este blog é masturbação assistida.

por falta de critério...

anda a reler-se isto, como leitura de cabeceira

nevertheless

gosto das minhas mãos... história, lesões e desempenho incluídos.

"just now" ou "a propósito de discos de embraiagem"

pai - o volvo também anda a falhar... fui buscar uns 300kg de melões naquilo e estava a falhar na subida. até pensei "querem ver que eu não chego lá com os melões?"
eu - percebo isso tão bem... aliás, isso dava uma bela frase para uma t-shirt, não?

a merda da embraiagem já me ia lixando uma das melhores noites da minha vida... quase que contaminava tudo incluindo coiso...
daí eu ter achado tanta piada: são as associações de ideias. lembrei-me de uma conversa com a A. sobre símbolos de feminilidade... continuo a achar a mesma coisa.
sobre as coisas "boas" da vida continuo a ser maniqueísta: gosto ou não gosto. ou gosto mais ou menos...
eu gosto do que é bom. ponto.

private motorcycle club conversating...

jp - eu, sozinho, é mais vinho...
eu - eu depende... em geral, indo aos arquivos, deve ser mais licor beirão...
jp - mas 'tás ver? uma garrafa dura uma noite inteira... ali à lareira, a dar beijinhos no copo...
eu - já me aconteceu, sim... percebo. mas não estamos a pensar na mesma pessoa...
jp - quê?
eu - nada. esquece...
(risos)

eterna acção de formação

tenho para mim que se compreenderá melhor as mulheres se se tomar em atenção coisas como esta:

(foi cool ouvir isto (o disco todo, sacado do optimusdiscos) no canadá, no ano passado. foi cool lembrar-me agora...)

mesmo quando tudo é fácil

é difícil a ausência
é difícil a presença
é difícil a espera, a pressa... a carência
é difícil a sombra
é difícil a luz
é difícil o que oprime, difícil o que seduz
é difícil a paz
é difícil a revolta
é difícil a vida, a ida e a volta
é difícil a praia num dia de verão
é difícil no olho de um furacão
é difícil a verdade
é difícil o engano
é difícil a pele até ao tutano
...
é difícil resistir
é difícil desejar
é difícil o sentir
é difícil pensar
é difícil definir ou classificar
chamemos-lhe amor, para facilitar.

2010/12/08

comunicação sobre tv

(a propos de não sei quê na sic radical...)
mia: pénis cogumelo...
as coisas que se aprende
me: com odor característico?

2010/12/06

(desenvolvimento de) as coisas que a gente lê.

esta semana li isto e isto e gostei mais ou menos...
gostei mais do "homem invisível" do que do "heidy and hippo"... mas já estava à espera.
apesar de tudo, este último contém pérolas como:
"dualism in a nut-shell - what is mind? no matter. what is body? never mind.
também contém humor negro, e isso é sempre cool...
só um coisinho do primeiro: o homem invisível é invisual. gostaria de recuperar a visão para, principalmente, poder ver mulheres bonitas. dou quotidianamente graças (a quem?), da forma que sei, pelo facto de, pela mesma razão, não ser cego.
isto digo eu, que não sei bem o que estou a dizer...

pro bono

pode ser que eu tenha que os ver, corrigir, classificar, essa merda toda.
mas eu vou buscar os exames mas é o caralho!!
e será uma sorte se eu, tão dado a achaques(*), não tiver uma coisinha por esses dias...

(*) para não dizer, como o puntila, que tenho ataques de sobriedade em que, por deixar de ver as coisas a dobrar, só vejo metade do mundo.

2010/12/05

eu vi isto e gostei!














eu sei que poderia ter escolhido outra imagem para ilustrar a peça "o senhor puntila...". assim como assim, teria que a rapinar de um sítio qualquer.
mas esta agradou-me.
é assim meio como que autobiogáfica...

2010/12/03

sem título para sempre



o antónio levou-me até aqui. ele não fazia ideia...
e se há coisas indubitáveis são estas: o apuradíssimo gosto do rapaz em termos musicais e o sentido que este clip faz...
este clip tem o melhor casting do mundo!!!!
(apaixonei-me instantaneamente pela rapariga da bicicleta...)
fiquei coiso com isto. a sério!

2010/12/02

cool tune...

tecnicidade

nunca usei a coisinha das etiquetas nos posts... poderia arrumar a casa por temas, por exemplo. pode dar jeito.
mas a questão é que há demasiados temas (ou é sempre o mesmo)...
podia arrumar a casa por medos, por ideias, por conceitos...
podia arrumar a casa por pessoas, mas não sei se deveria nem sei se seria exequível (há posts relativos a mais do que uma pessoa, há posts sem pessoa definida (aqui inclui-se o autor dos mesmos, claro)...

fica a organização temporal que a máquina define...
para mim serve perfeitamente.
o caos pode encerrar uma beleza pouco comum...
(não será o caso, mas em absoluto é bonito de se dizer.)

aforismo (excerto de outro post)

a "arte de não fazer planos" pode ser confundida com a "arte de desesperar de forma controlada". nenhuma delas pode ser confundida com a "arte de viver".

2010/12/01

as coisas que a gente lê...

all my life i tried to be somebody...
i realise now i should have been more specific.

2010/11/29

free advice

se se puder ouvir leonsia erdenko a cantar "gelem gelem" uma vez na vida... a vida melhora.
qualquer dia invento umas palavras em russo ou romeno ou lá o que for que os ciganos cantem e meto-me nisso...
nááá... melhor que fazer um aborto musical é yutubar a coisa... com umas fotos cool e assim...
quando houver vagar...

behind the green door

é este o título.
não só deste post, mas do filme pornográfico que mais me impressionou/impressiona na vida.
talvez o tenha visto em idade precoce (vi, de certeza... tinha menos que 34 anos quando o vi...), talvez nunca o tenho visto com a atenção que merece (ou que não merece)...
o importante é que vi!
vi o que estava atrás da porta verde!

as portas têm o seu quê de fodidas! se as há que são de materiais transparentes ou translúcidos esse não é o caso da do filme. assim sendo, só se poderia ver o que estava atrás da porta verde abrindo a porta. e nunca se sabe o que está atrás de uma porta deste tipo (há um exercício que me ocorre e que tem a ver com portas e tigres e coisas dessas, mas não vem (viria, mas eu é que mando aqui) ao caso agora).
no caso do filme, aquilo que está atrás da porta verde é algo simultaneamente intenso, estimulante, ainda que grotesco. seja positivo ou negativo, o importante é a possibilidade do acesso. melhor, do acesso propriamente dito.
eu sei.
eu vi.
eu vi o que nunca tinha visto. em alguns casos, feliz ou infelizmente, vi o que nunca voltei a ver.
eu abri a porta. e o facto de, eventualmente, não estar preparado para a abrir tornou-se pouco importante após a abertura: passei a estar.
e isto é um acontecimento digno de registo na minha vida. quanto mais não seja para me lembrar do tempo em que eu fazia isso (abrir portas, entenda-se... que ver filmes porno... não interessa...). e isto independentemente da cor da porta e da sua simbologia.

pode-se pensar que, em alguns casos, abrir uma porta será semelhante a abrir a caixa de pandora. eu não vou por aí... na mesma altura em que vi o filme da porta verde pela primeira vez eu tinha uma gata siamesa chamada pandora. a caixa dela era cor de pinho, não era verde.
foi atropelada. a gata.

na mesma época vi uns 3 ou 4 filmes suecos de que não me lembro mas que sei que eram muito bons. clássicos dentro do género.
a vida é feita destas coisas todas.

2010/11/27

qualquer dia ainda inventam que pode ser a dois...

Quanto mais variado, no entanto, for o reportório sexual do encontro, melhor poderá ser o resultado final, descobriram os cientistas, através das respostas dos participantes no inquérito relativamente ao orgasmo e aos diferentes actos em que se envolveram.

daqui

frases para t-shirts V

seria humanamente impossível sussurrar o teu nome ao teu ouvido sem que te roubasse um beijo.

mónica mónica...



gosto de tudo neste clip. está dito!

diz-me do que gostas e dir-te-ei porque gosto de ti!

2010/11/26

dejá vu ou coisa parecida...

em setembro de 1995 (pode ser 1996... mas foi em setembro), na esplanada da fcsh, perguntavam-me (talvez com uma incontida esperança ou, pelo menos, de modo muito agradável na pressuposição dessa incontenção) :
- deixaste crescer o cabelo? tens um brinco?... divorciaste-te?

virtual x virtuoso

in second life, the first thing to do is create an avatar...

2010/11/25

absence.

... just too much happening in the real world...
or makin' it happen.

2010/11/23

blogsurfing...

- por que me deixaste de falar? éramos os melhores amigos, eu contava-te tudo sobre mim, não te escondia nada.
- foi por isso. percebi que eras um filho-da-puta.

daqui

2010/11/22

frases para t-shirts IV

(edição personalizada)

queres um corpo 'vaqueiro'? come mais!!

2010/11/21

the miseducation of young relatives starts at home...

a canção era só a 2ª melhor canção de todos os tempos: "i'm your man", do cohen... (a melhor será "somebody", dos dM)... e nisto:
- "... i'll do anything you want me to..."
- eh lá! olha que há gajas doidas!!!
- eu sei, puto. felizmente que é assim. seja como for, elas gostam de ouvir isto...
(...)
- "... if you want a father for your child..."
- elas também gostam de ouvir isso!
(risos)

frases para t-shirts III

(produzida em reunião de dt's)

a beleza do mundo é que pessoas diferentes se satisfazem com coisas diferentes!

2010/11/20

marítima-extravasante

navego em reticência, em neblina,
a nau periclitante no asfalto.
para dobrar em pele de mulher-menina
o imenso cabo do sobressalto.

um doce sorriso como guia
ou outra corporal constelação,
leva-me no encanto até ser dia.
em oscilante embalo a embarcação...

invente-se uma praia de areia
dourada num inverno de calor!
cante-se o canto da sereia
e regresse-se de novo ao torpor.

e já em terra firme registar
a inscrição nos tomos de história:
que desta nobre arte de marear
jamais se possa perder a memória.

2010/11/19

FNAT, parte XLXVII

about cuecas e "se as tivesse"...

"então? o teu colega já recuperou do desmaio? diz-lhe que está tudo bem...
foi a vertigem de desejo e concupiscência que lhe bateu na fraqueza.. ele que vá ao bar comer um pastel de nata..."

(mentalmente acrescentei "ou ele que use uma daquelas coisas que o albino do código usava na coxa... não me lembro o nome... só me vem à cabeça o termo liga, nem sei porquê... é bom quando as ligas vêm à cabeça como e quando o sangue vem à cabeça... o acto de vir... à cabeça...")

minudências

para quem repara em coisinhas como a hora em que estas coisas são escritas aqui e mais não sei quê tenho um conselho: PROCURE AJUDA!

mas há uma justificação para estar aqui a esta hora: pensei eu que, neste momento, estaria a substituir a profe de FQ.
não estou. a substituta chegou. vi-a de relance...
mas vi-a o suficiente para achar que há mais do que motivos para eu lhe ir interromper a aula com papeis pseudo-importantes e aproveito para me apresentar e logo se vê melhor como é que é... assim como assim sempre achei piada às mulheres da póvoa de varzim (ou outra cidade qualquer... ou vila... aldeia... lugarejo...)

EXTRA!!! EXTRA!!! ou primeira epístola de s. paulo aos noctívagos

meus irmãos,
diz que é neurose fobico-ansiosa...

frases para t-shirts II

para certas pessoas, por trás é muito à frente!

2010/11/17

jet M

no pain,
no shame,
no tomorrow,
no fear,
no moon,
no rush,
no time,
no sorrow,
no crisis,
no ocean,
no rush,
no future,
no bargain,
no stress,
no difference,
no sun,
no refrain,
no swet,
no regreat,
no problem,
no failure,
(under costruction)

we shared our deepest fear
no tear



she takes just like a woman,
she makes love just like a woman,
and she aches just like a woman,
but she breaks just like a little girl.

2010/11/16

random cool pic ou 6-string in the far back...

ela é ganz

fiquei coiso a ver um anúncio da longines onde a kate winslet diz que a elegância é uma atitude...
acontece, não?

2010/11/14

os melhores ganham só às vezes, os outros também



such a wonderful life
when it's weighing you down
are you in control?
the suburban reign always stays the same
like the hollow smile cracking up your face

take your battered soul, wear it as a crown
all that numbs you
run a thousand miles, till you hit the ground
all that numbs you now
and days roll into one and the same on you
the world revolving around your spinning head

make the fences high
make the blinds go down on the world outside
maybe the day will come when you wake up not feeling anything
no more tears and no more pain

take your bleedding heart, wear it on your sleeve
all that numbs you
stare into the sun, the blind relief
all the numbs you
as the years roll into one, only numbers change
the world revolving around your spinning head

take your battered soul, wear it as a crown
stare into the sun, the blind relief
all the numbs you
as the years roll into one, only numbers change
the world revolving around your spinning head


e agora, após um sentido momento autobiográfico, posso, finalmente, trabalhar: fazer uns ofícios, esgalhar umas actas, mudar uns cortinados, corrigir uns testes, buscar mais lenha, preparar umas aulas, fixar o melhor desenho do meu filho à data no tecto do scriptorium, mandar uns mails... mudar o mundo, portantos...





a criatura tem desenhos mais bonitos, mais coloridos, com mais pormenor... mas este é o que tem maior intencionalidade e realismo.
foi-me comunicado que "neste desenho o D. vai chutar e vai tentar marcar-me um golo no jardim do avô mas eu sou um guarda-redes espectacular e o D. e o T. vão ficar zangados porque eu sou o melhor a defender e eles não conseguem marcar nada... só às vezes... mas este não".
deu isto. deve referir-se que a "baliza" é o espaço entre um cedro e um abeto minúsculo (bonsai natural)... a escala está perfeita.
tenciono reforçar positivamente esta actividade da criatura até à exaustão.
- posso ficar rico a desenhar, pai?
- podes. e podes desenhar as raparigas por quem te apaixones, por exemplo...
- (risos) isso também é fixe.
... ladies in surdine...
- por que é que o pai quando fica feliz fica triste?
- porque ele acha que a vida nunca é suficiente e nunca está satisfeito.

films too...

2010/11/13

claridade coimbrã

- tu és uma miúda...
- tu também...

2010/11/11

well landed uppercut

palavra de honra que até estava animadito enquanto me preparava para mergulhar, mais uma vez, no pantanal de ignorância que a correcção de testes pode ser...
mas foda-se... surge-me nos ouvidos o blixa bargeld a cantar isto:

One is the loneliest number
That you'll ever do
Two can be as bad as one
It's the loneliest number since the number one

No is the saddest experience
You'll ever know
Yes, it's the saddest experience
You'll ever know
Because one is the loneliest number
That'll you'll ever do
One is the loneliest number
That you'll ever know

It's just no good anymore
Since you went away
Now I spend my time
Just making rhymes
Of Yesterday

Because one is the loneliest number
That you'll ever do
One is the loneliest number
That you'll ever know

One is the loneliest number
One is the loneliest number
One is the loneliest number
That you'll ever do
One is the loneliest number
Much much worse than two
One is a number divided by two

"one", de harry nilsson... que eu conheci via aimee mann

....................................................................................

enrole-se um cigarrito e pense-se em coisas muito lindas, se se for capaz...
veja-se, por exemplo, o clip abaixo.

a mulher mais interessante deste blog!!!!

2010/11/10

o amor nasce nos olhos

mind versus world

isto está aqui um tipo a trabalhar, isto é, a pensar em calças saruel - caso específico, e o tipo ao meu lado dispara-me sobre o jornal:
"auditoria revela buraco!"

iniciação à política ou coisas que se aprendem quando estamos imersos num lamaçal..

marketing freeride:
"isto é um documento sério... alguém tem dúvidas existenciais sobre o documento?"

como comprar tempo perante um problema bicudo de modo a adiar uma resposta sine die:
"eu nisto sou como s. tomé, é ver para crer...", "mas temos aqui os dados, os gráficos...", "pois, mas eu sou assim".

wasting time... wtf am i doing with my life????

gónadas

2010/11/09

a kiss in a feast e outras histórias...

nesta época de evitamento da telvisão vou apanhando umas notícias meio fora-de-horas...
fui alertado pelo irmaolucia.blogs.sapo.pt para uma cena de pancadaria no porto, envolvendo um casal (a notícia dizia serem sem-abrigo. podiam ser só sem-vergonha) que estava a tentar praticar sexo na rua de santa catarina, em pleno dia, e uma fulana (parece que eram mais) que não achou piada àquilo. eu sei que era uma fulana porque via-se mesmo que era uma fulana. vestia-se commo uma fulana e tudo (aquele fato de treino tem uma etiqueta, suspeito, jamais irei confirmar, uma etiqueta a dizer "special fulana edition".

gostei do título do post do irmaolucia...
por acaso eu conhecia o fim d'os lusíadas. mas hoje em dia já não tenho tanto o hábito de ir ao fim de um livro ver como acaba a história. desde que só leio livros com bonecos que sou muito mais feliz.

mas, mais tarde e friamente, pensei melhor...
aconteceu-me uma vez provocar alguma interferência num casal que, igualmente, se dedicava à nobre arte da fornicação, daí que eu não tenha autoridade moral para opinar sobre o assunto.
a minha interferência não tinha motivações moralistas nem tinha um cunho de violência. apenas foi incómoda, como todas as utilizações exageradas de uma máquina fotográfica o conseguem ser.
não sei se foi por isso, mas nunca mais me ofereceram bilhetes para o salão erótico de lisboa.

sobre o salão erótico de gondomar falarei outro dia.
mas vou já avisando que as meninas só fazem lap-dances ao gajos que estão sentados em duas cadeiras.
é que as cadeiras são de plástico pouco resistente e "abrem as pernas". e eu seja ceguinho se não posto aqui as imagens disso mesmo. é isso e um "parental advisory for explicit content". também posso renovar os naperons desta espelunca.

e agora, só porque tem um bocadinho a ver, segue uma edificante cantiga:

das inacessíveis constelações dos mareantes

quem vai luar fica aluado, já diz o ditado.

2010/11/07

lei das com-pensa-sões ou o domínio da língua

numa canção a que atentei (no sentido a que dei atenção, não no sentido em que lhe fiz um atentado, na forma de versão pessoal, por exemplo) recentemente...
numa canção em que atentei recentemente dizia-se:
"i'm a lucky man to count on both hands
the ones I love..."....
muito bonito. gostei muito.
podia agora escrever uma canção que dissesse:
"i´m  an unlucky man to count on one full hand
the goles main equip of futbol levei-te na pah of its principal adversary wish is probably the equip that's going to conquistate the next championation of dis year"
não foi bonito nem gostei nem um bocadinho.

fã #1

não ouço sempre sempre... mas é tão bom haver uma rádio de confiança!
isto um gajo liga a radar e... the stranglers, "strange little girl"... priceless.

2010/11/04

avulsos topo-de-gama

“[Ironista é a] pessoa que encara frontalmente a contingência das suas próprias crenças e dos seus desejos mais centrais – alguém suficiente historicista e nominalista para ter abandonado a ideia que essas crenças e desejos centrais estão relacionados com algo para além do tempo e do acaso.”
Richard Rorty

rapinado de arrastao.org

ora não querem lá ver que isto é pior que o intendente em 1989?

the great white" hunter" finds himself in trouple after that bit of information:
"you really shouldn´t be around here all alone by yourself... there are bears in these woods, you know?

pérolas existenciais

um segmento perfeito de alinhamento radiofónico:
grizzly bear (the knife), belle and sebastian (i want the world to stop), a voz de inês meneses, the smiths (how soon is now), mark lanegan (hit the city)...
faz-me lembrar de uma canção cantada por johnny cash no seu último álbum que diz que um homem rico é um homem com uma satisfied mind... fui, durante alguns minutos, o tipo mais rico desta sala...
é para compensar aqueles (muitos) dias em que sou um indigente...
..........................................

hoje tenho o alto de santo amaro muito presente na minha cabeça. hoje tomei duche de água fria. hoje sinto-me vivo.
também... só eu para achar piada a um duche frio...

2010/11/03

amici e outras coisas em anti-stress

um amigo que me ensinou que a melhor fórmula de descrever a amizade pode ser "alguém que faz parte da tua vida" dizia-me, agora mesmo, que estava apaixonado. segue a descrição:
"ela é mm doce, à filme: the one"
haver alguém que me escolhe para me dizer estas  coisas (ainda) é surpreendente. devíamos dizer sempre as coisas boas que sentimos sobre as pessoas às pessoas. eu tenho uma certa dificuldade em fazê-lo. mas, graças aos deuses, algumas dessas pessoas percebem que gosto delas e que as admiro.
"ainda não amava e já amava o amor", dizia agostinho, o santo. sim senhor, nada a dizer, mas mais adequado para quando corre bem...
este é um daqueles casos (pareceu-me) de amor trágico...
são certos livros, certos filmes, certas músicas que nos definem. também são certos livros, certos filmes, certas músicas que nos fodem a vida. os mesmos, quase sempre.
......................................................


em conversas passadas acho que disse uma ou duas coisas inteligentes sobre a monogamia (aí uns 2,3% das coisas que disse. as restantes era só eu a pensar)...
.....................................................

e agora algo completamente diferente:
disseram-me hoje que "uma amiga minha esteve casada com um sueco... ele era tão mau na cama que lia enquanto fazia relações com ela (vou abster-me de comentar a expressão "fazer relações"... mais por falta de tempo do que de estímulo)"... era patente o desdém pelos machos suecos (é bem intencionado o esforço de salvaguardar a boa reputação das fêmeas portuguesas). eu respondi "os suecos são uns cavalheiros. para não magoar a senhora deu-lhe a entender, de uma forma não agressiva, que ela era um traste na cama". todos riram, excepto a mulher mais interessante da sala, que apenas exibiu um muito eloquente e quase imperceptível sorriso.
......................................................
não tendo eu sido educado num contexto onde a utilização eficaz e elegante de espírito (no sentido de esprit em francês, wit, em inglês), isto é, onde o espírito fosse estimulado, fui resvalando para algo tendencialmente próximo disso (sem pretensiosismos). estimo particularmente as minhas raízes paradoxalmente proletario-rurais (as vítimas da fome e o caralho...). mas transformei-me nisto. nesta espécie de coisa outdated e misfitted e outras coisas em inglês... viva-se!
....................................................

ataque de riso institucional

cenário: runião. (eu era o chefe da runião)
ele - como se chamava aquele padre que dizia "não há rapazes maus"?
a mecinha de mural (e eu, em pensamento e em simultâneo) - américo (frederico)
eu (rindo-me em silêncio, mas convulsivamente) - peço desculpa... eu ando muito cansado.

tenho que arranjar outra justificação para além desta. uma hipótese poderá ser "desculpem-me, que não tomei a medicação"...

2010/11/02

toda a verdade...



a ter um blog, que seja para fazer merda...

reciclagem sempre!

manifesto multi-usos, parte IV

ouço uma voz que me soa familiar, acima dos que nadam. a voz diz que
Where should we go? Where should we go?
I know you know that I'm gonna need it
I know you know which way to go
I know you know, I wanna go
assino em baixo, afirmo a voz como minha, amarroto-a com as mãos, com muita força, e atiro-a num voo curvo sobre o desfiladeiro.
lá em baixo as crianças aprendem a nadar. algumas aprendem a nadar bem.
as mães olham ocasionalmente para as crianças. olham muito para o professor de natação. algumas aprendem a olhar bem. algumas olham para mim, mas eu sou eu.
eu estou muito longe daqui.
olho para tudo sem ver coisa nenhuma... fixo a atenção em pequenos pormenores de tinta lascada das grades de segurança onde, numa posição muito jovem, assento um pé... apercebo-me de que a senhora do lado me sorri, mas apercebo-me tardiamente. estava há muito tempo (alguns segundos) fixado no seu piercing sobre a narina. tinha sido sugado por uma força brutal para o espaço entre a pele dessa narina e o piercing e encontrava-me a suportar todo o peso do piercing sobre as minhas costas. uma espécie de atlas, procurando manter o equilíbrio sobre a superfície gordurosa... apercebi-me tardiamente do sorriso, mesmo a tempo de o ver perder o brilho. desviei o olhar e sorri para o meu filho, apercebendo-me, como sempre, da harmonia do seu corpo. quem não sai aos seus, regenera.
a senhora do piercing calça o 35. 34, se forem ténis. e isto é e não é importante.
estou muito cansado. a atmosfera aquecida da piscina recorda-me isso mesmo a cada movimento. são 18.55 e estou cansado.
daqui a umas 3 ou 4 horas, estarei naquele estádio de cansaço em que sinto ter uma agudeza de espírito fora do comum... mas pode ser só uma visão distorcida de um mundo em câmara lenta...
hoje senti-me incompetente... injustamente. causas técnicas e coisas dessas... e o facto de nunca ter um plano B nunca me impediu de ser um bom professor... mas tudo se resolve, basta estar com atenção. fiquei melhor quando vi um caso ou dois de comportamentos que eu nunca teria no âmbito da minha actividade profissional. (falar de trabalho é um sinal claro de que estou cansado)...
in a while, i'll be on top of my game... i hope.

i could be a fucking rock-star...

as coisas que se ouvem na radar...
pedia o pedro ramos ao greg dulli:
- some words of romantic advice for lonely portuguese men or women...
- i´m the wrong motherfucker to be asked that!

greg dulli faz coisas muito lindas com o mark lanegan.
não no sentido em que duas pessoas podem fazer coisas muito lindas, claro está... presumo...
eles, quando são the gutter twins, são muito cool ou é isso ou é the twilight singers... uma cena dessas
mark lanegan é assim uma espécie de leonard cohen muito diferente e muito mais erodido.
o amor é erodido, como dizia o outro...

2010/11/01

a minha versão é melhor que a tua versão...

o bom exemplo...


- então, pai... caíste?
- sim...
- tiveste medo?
- tive.
- foi mau, então...
- nem por isso, puto...

2010/10/31

algures em antes II

noutro registo, mais leve e com menos oxigénio nos neurónios.
(post temporário, se calhar)

algures em antes

há preocupações que são recorrentes mas é engraçado ver que há sempre coisas que mudam...
que se lixe.
(post temporário)

zvnrv é uma sequência se consoantes muito invulgar....

- o que estás a ver?
- uns tipos a jogar snooker, no eurosport...
- nem parece teu.
- ver desporto ajuda-me a limpar a cabeça...

(pausa)


- continuas a ver desporto?
- sim...
- o quê?
- ténis...
- masculino ou feminino?
- feminino...
- percebo... é um tipo de limpeza diferente.
- é...

2010/10/27

a normalidade é assustadora

- mas que tipo de gente conheces tu?
- serial-killers, operários agrícolas, profes...

During the trial's first day of jury evidence, January 22, 2007, the Crown stated he confessed to forty-nine murders to an undercover police officer posing as a cellmate. The Crown reported that Pickton told the officer that he wanted to kill another woman to make it an even 50, and that he was caught because he was "sloppy".

hiperactividade

a minha cabeça, às vezes, surpreende-me.
algumas pessoas têm para si que eu sou uma pessoa inteligente. devo dizer que eu, habitualmente, prezo muito a opinião de algumas destas pessoas, excepto acerca deste tema.
mas esclareço a origem do mal-entendido: eu penso depressa, às vezes.

por exemplo, uma frase como "tu és paradoxal" urge-me a responder. possibilidades consideradas:
1 - sim, posso ser, mas espero que as minhas convicções políticas (?) não nos impeçam de ser felizes.
2 - que giro... acho que tomei um xarope para a tosse, quando era pequeno, que tinha o mesmo nome...
3 - pois sou. (paradoxal não é assim um gajo que entra em orgias em que é tudo às escuras e valha-nos deus, pois não?)
4 - não, não sou. sou leão, ascendente em sagitário.

quem acertar na opção escolhida por mim receberá um daqueles ursinhos com estrelinhas cintilantes e um email a dizer que a amizade é uma coisa muito linda.

afinidades electivas

na primeira vez em que a minha colega com o nome mais bonito falou comigo disse "eu vejo sempre a volta à frança".

2010/10/26

kinkyetações

grosso-modo é uma boa alcunha para se ter na prisão, não é?

hoje

o hábito de almoçar não é novo em mim. fui educado na ideia de que almoço almoço é sentado e com talheres.
já o hábito de almoçar com mulheres bonitas, não sendo desconhecido, sofre de uma intermitência com a qual eu, às vezes, tenho dificuldade em lidar.
já no refeitório da fábrica havia uma lei não escrita que dizia que a directora de recursos humanos (ex-modelo de lingerie em londres) se sentava na minha mesa, para gáudio do meu progenitor, do popelinas, do armando, etc...
ao longo dos anos tenho tido o privilégio de almoçar com algumas (poucas) mulheres muito interessantes, com a excepção (relativa) quanto ao tempo em que andei embarcado, apesar do facto de o zé luis ter tirado o bigode ter, de certo modo, amenizado o desconforto provocado por essa situação...

e foi hoje.
e foi um prazer.

e foi-o(*) também o filme da copolla, o "lost in...", o do japão, com a johansson e o outro dos ghost-busters... (é óbvio que eu sei o título do filme)...


(*) isto de ver ou identificar ligações nas coisas é interessante: o filme é genial, mas podia tê-lo visto noutro dia... mas não, tinha que ser hoje, ó o catano!
logo hoje, em que a minha predisposição para achar importante um candeeiro de mesa de cabeceira com umas aplicações que faziam lembrar sémen cristalizado, aglomerado dispersamente em pequena nuvem acima da lâmpada, era, de manhã, quase nula.


 

2010/10/22

papaia-mamãe (the impossible mission)

- ó filho... já alguma vez comeste mamão?
- eu sei lá!.. nalgumas noites de bairro-alto um gajo sabe lá o que é que come!

... às 5ªs almoço com os meus pais. há coisas piores do que isso.
fruta faz bem, em geral. frutas tropicais também fazem bem, independentemente das latitudes.
o triplo trocadilho do título do post deverá ser capaz de obliterar uma eventual análise da arrepiante possibilidade do prisma edipiano.
por falar em mães: o gajo que rapinou o "inimigo público" hoje (antes que eu o fizesse) é um grandecíssimo filho da puta.

(pausa)

parece que deixou o ípsilon. afinal é só filho de uma tipa meio leviana ou ligeiramente galdéria ou assim...

2010/10/19

tempo real

- preciso tanto disso como precisei da orgia que tive nas nádegas!
- oi?
- tive uma alergia nas nádegas... um contacto qualquer...
- percebi outra coisa. e eu a pensar ter detectado uma certa ironia nas tuas palavras... e a possibilidade de um fértil tema de conversa...

2010/10/13

um papelinho avisou-me de que já só tinha mais 5 mortalhas...

um dia destes postarei aqui um clip de uma parte do trajecto que faço para o trabalho. por quê? porque me apetece. porque assim o desejo e o determino. tenho uma ligeira sensação de que pode ficar bonito: vejo o nascer do sol imediatamente antes da vertiginosa descida para o vale. é o que vale. se fosse ao contrário não era tão interessante. tenha-se presente que o percurso é efectuado com recurso a um veículo de tracção animal.
só para coiso, este é um dos exemplos de banda sonora que me acompanha regularmente...



o amor anda arredado dos meus escritos. o amor anda arredado de muitas coisas e também o anda dos meus escritos. a bem da verdade, não sendo eu escritor, não produzo "escritos". talvez o nome correcto fosse escrituras, na sua acepção menos pomposa ou regimental... se eu fosse teenager talvez pudesse dizer "faço umas cenas".
faz-lhe bem, ao amor, andar uns tempos a pão e laranjas. é para ele ver como elas mordem.
só que o amor, porque é o amor, sabe perfeitamente como elas mordem. e gosta.

só para coiso, devo dizer que o meu record no tiro aos pratos é de 22 (em 25). nada mau, considerando...
e há um texto que anda aqui a tardar que só ainda aqui não existe porque foi escrito num papel que serviu de alvo num concurso de tiro (ao alvo. tem uns círculos concêntricos numerados e isso) pretendo digitalizá-lo (sacaneá-lo) como prova de que eu não é só tiros para o ar...

e só para ninguém poder dizer que vir aqui foi tempo mal empregado:
pingue é um adjectivo, sinónimo de abundante. esta palavra é utilizada pingues vezes por oliveira marques na sua obra "breve história de portugal".

highlight de uma aula de psicologia:
- ó professor, um paraplégico não tem mesmo nenhuma sensibilidade nas pernas?
- não, não tem. eu até costumo aproveitar, quando encontro um na rua, para lhe dar umas valentes caneladas. não ofende ninguém e sempre vou satisfazendo algumas tendências básicas... alguns apenas ficam ligeiramente incomodados, quando têm mais pressa ou assim.
- o professor é estranho.

2010/10/11

caipirão ou assim...

me: por acaso tiveste piada... vim no carro a rir-me..
tu, parvinha
diz-se "vim no carro a rir-me" ou "vim-me no carro a rir"?
C: ah, eu, a outra. estava a ver que havia mais :D
O que te der mais prazer; o que pode ser quer uma quer outra hipótese.
me: isso do prazer... depende.
nááá... a segunda inclui o melhor de dois mundos, pá
C: bem visto
me: é, não é?
C: é.

__________________________

me: tem cuidado comigo. eu a dar conselhos é como no tiro aos pratos: saem rápido e acerto poucos

2010/10/05

people

hoje não se comemora só o centenário.

2010/09/23

hú?

e se um dia, quando me chamarem para ir jantar, eu não sair do escritório. se eu não responder o "vou já" costumeiro. se eu não emitir qualquer som quando a voz muito mais aguda do terceiro ou quarto chamamento reverberar nas paredes do mezzanine...
quem subirá as escadas de ferro e abrirá a porta de madeira em frente da secretária mais pequena?
estas coisas são importantes...

fruta fora da época

considero D. como da família. da nossa família fizeram também parte os fisher (confesso que não penso na claire como minha irmã).
hoje fui apanhado de surpresa: atentando num dos canais da cabo (vejo demasiada televisão, particularmente em fases de engonhar) dei por mim perante os últimos 10 minutos do "sete palmos de terra". estou com o J. que, dando liberdade à sua fixação em action-figures, ignorava ruidosamente o que passava no ecrã. nele a sonoplastia é fascinante, habitualmente.
pedi-lhe silêncio: deixa-me ver com atenção os melhores momentos de ficção em televisão de todos os tempos. ele não obedeceu, apenas se interessou, mas o silêncio fez-se.
- a família dela morreu toda?
- morrerá toda, sim.
- nós também?
- sim.
- aquele teu amigo que morreu tinha filhos assim pequenos?
- tinha...
- então pode ser que tu não morras. não podem morrer todos ao mesmo tempo.
- ... quer dizer que não acreditas em teorias apocalípticas de fim do mundo...
- não sei, pai. gosto destes calções do benfica.

life must be beautiful...

2010/09/21

2010/09/09

o amor dos outros

"search for your adventure! and when you find it, tackle it with all you have got, all your strength, experience and passion!"
sir edmund hillary

só para coiso, o autor desta frase foi o 2º gajo a subir ao cume do everest. o 1º foi nãoseiquê tenzig, um sherpa. raramente se fala dele.

2010/09/08

new gin, old movie...



não consigo fazer 2 ou 3 coisas que deveria fazer neste momento.
logo, vê-se "henry and june" e bebe-se gin-tónico.
li pela primeira vez (na idade adulta) os "contos do gin-tónico" aí pelo ano passado. não me importaria de escrever coisas assim, mas como sou falho de talento ou inspiração, talvez começando pelo gin os contos venham por si.

o pessoal da câmara foi fazer canoagem para fomentar a camaradagem.

lembro-me do meu livro de árabe, de como os animais e as pessoas eram representadas com a cabeça suprimida, apenas sugerida por uma linha tracejada pouco perceptível, para não ofender a alá. imagino agora um processo idêntico mas simétrico: era ver as cabeças dos touros empalhados desenvolverem um possante corpo igualmente tracejado e desembestarem por essas tertúlias fora a partir tudo e a ferir, em alguns casos de morte, a aficion.

2010/09/07

be like me

http://icanread.tumblr.com/page/5

2010/09/06

back in business

- então? vens muito calado para as reuniões este ano...
- é. decidi dar o meu contributo para um trabalho colectivo mais profícuo. além disso, estou a pensar meter-me nessa merda da avaliação e alguns protagonismos, além de parvinhos per se, são contraproducentes.
- hã?
- sabes qual é a diferença entre sexo e masturbação?
- não...
- é o convívio.

filho de peixe é como se fosse...



este mecinho é cool.
poder-se-á argumentar que eu classifico qualquer pessoa que transporte 3-três-3 cervejas de litro como sendo cool. pode ser, mas isso não retira verdade à frase supra.
faz uma utilização la-me-chas do feicebuk dele, mas fica-lhe bem. as pessoas cool como ele podem fazer isso na boa.

2010/09/05

o custo da vida...

amanhã é o dia em que se tornaria visível o trabalho de vários dias, dias estes consumidos sem que qualquer rasto de trabalho tivesse subsistido como prova desse consumo.
tenho muito poucas horas para fazer o trabalho de vários dias e, ainda assim, hesito em postar aqui um dos cada vez mais raros textos produzidos em tempo real e em papel.

"faz-me impressão o trabalho, a inércia faz-me mal", já dizia o outro...
custa-me, é só.

new season

2010/09/01

cultural change required



parecendo que não, aprendi muito com isto. não foi bem aprender, foi mais sistematizar, apesar de não perceber a conversão visual de "thesis" por fezes("faeces")... mas isto sou eu a julgar que o pessoal dos bonecos, às vezes, nem as pensa. eu já fui dos bonecos durante um ano.

os meus leitores mais perspicasaze..., prespricaz..., perqui..., argutos deverão ter já reparado que é ainda manhã. uma boa forma de começar o dia é a sistematizar.
ainda por cima diz que é hoje que tenho que retomar o meu processo na criação de riqueza e esforço produtivo.
mas cada vez ando mais inclinado para que o esforço seja para uma mudança cultural.

vou na bicicleta recuperada da sucata.

2010/08/27

monocromático até é o meu signo do zoodíaco...

devia era, da forma mais educada possível, ter dado a entender que daria muito mais valor a 2 ou 3 garrafas daquela cachaça que vem nas garrafas de palhinha do que à tshirt oficial do brasil daquela marca que significa vitória em grego e tudo.
e quem diz 2 ou 3 diz 3 ou 4...
já há anos que o deveria ter feito. eu e a minha falta de tacto...
mas a culpa não é só minha: desde quando é que eu tenho cara de "esportista"?

littlelionhole

2010/08/26

fullmoonsoundtrack

fun, fun, fun!!!!



highlight das férias

s - acho que vou dar uma volta... talvez apalpar uns gajos bons.
d - ok, mãe. não te esqueças é de colocar os cinco euros na tanguinha do moço.
s - chiça! ainda se fosse ele a apalpar-me a mim...
d - também pode ser, mas o preço é o mesmo.

2010/07/25

smithereen

- pá... tá bem que isto é só família ou quase isso, mas isto não deixa de ser uma piscina comunitária. isso não tá bem.
- o quê?
- isso de andares aqui todo nú, venha quem vier... não tá certo.
- e daí?


às vezes mandam-me para o raio que me parta... hoje partiram-se-me 6 raios. fiquei com um quadrante da roda da frente omisso de raiação. um quadrante é assim tipo um espaço ou uma área, tipo uma zona, definida por dois raios (não os ausentes, mas os delimitantes, ou assim) e um arco (um arco é assim um bocado de circunferência, acho eu) de ângulo definido.

e tenho dito sobre praias fluviais!

2010/07/24

elegia

este sítio está a morrer... e isso não é bom sinal.

2010/07/15

pater philia

isto tem um gajo a crise de meia idade controladinha e tudo e tudo e aparece alguém que, com uma singela frase, agita este (sempre) instável equilíbrio. fora eu mais fragilzinho e a coisa complicar-se-ia.
mas não. tudo cool.
além disso, apercebo-me que há uma ou duas palavras que eu uso pouco neste sítio como, por exemplo, concupiscência. e rosmaninho. e panela de escape. minto: panela de escape é usado aqui, mas com outra roupagem, como soi dizer-se.

2010/07/08

cuerno, cuerno



se há coisa que me parece divertida é isto...

2010/07/07

no more

- como é que isso se escreve?
- cialis...
- e é mesmo como tu dizes, pá?
- tás parvo? aquilo basta apenas uma barbataninha de pintelho de fora para te orientares durante mais de 24 horas...

isto é um repost de "clube de cavalheiros"...

2010/06/26

altruísmo é o meu nome do meio...

- o que achas de trocarmos a minha aula de 2ª feira pela tua de 5ª?... dava-me tanto jeito...
- achas-me com cara de boa pessoa, é?
- vá lá...
- ok. pode ser.
(pausa)
- assim ainda vou a casa buscar o bikini...
- acho muito bem. veste-zi-o e vens praqui ver o jogo comigo. é o mínimo que podes fazer para me agradecer.

2010/06/24

fruta da época = 136

- então, estás bem posicionado?
- estou. estou posicionado entre a helena e a crisálida, posição essa que, não me faltando saúde, me parece interessante...
- estás bem, tu. vi-te a subir aqui a rampa, ontem, na tua bicicleta.

2010/06/21

afterburn...



- este trilho, esta descida, foi o melhor que já fiz na vida. quem descobriu isto?
- fui eu.
- vieste praqui com quem?
- sozinho.
- descobriste isto sozinho??
- foi. tu sabes que eu ando muito sozinho.
- tá bem, mas meteres-te por aqui sozinho... tu és doido!

2010/06/02

i mean... this

not eurovisão, parte II

quando eu sou xarmã e (na minha cabeça) vejo o futuro logo ali...

- gostas?
- o que te fica bem, minha querida, é a auto-confiança. isso é que é. isso é que faz sentido.
- achas mesmo?
- acho.

doubledone























legenda:
1 - panela de sopa feita cá pelo je. é para amanhã, pó festival das sopas ou lá o que é. algo me diz diz que esta noite, lá para as tantas, venho cá e despacho uma malga disto, que até as correcções me correm melhor.
2 - vodka-lima (receita caseira). já que estava pela cozinha, deu-me para moer gelo. e era uma pena estragar-se. e como há sempre limas em casa e não lhes dou muito mais utilizações...
3 - o meu livro de receitas. serve só para eu não me esquecer de nada, que isto é tudo feito "a olho" (provável interferência do item 2). se um totó qualquer quiser rapinar a receita não vai deixar de ser totó por causa disso. só para que conste (a constância é uma virtude. e uma vila portuguesa. ribeirinha. camões e o raio...) não fui eu que passei aquilo para computador.

se alguém quiser fazer um jogo muito lindo, envie um email para a redacção dos carapaus das pérolas boiantes indicando qual a prática sexual mais arrojada que praticou (passo a redundância. já estou a dar ideias...).
a equipa da redacção (i.e., eu, se tiver vagar) enviará para casa dos vencedores desta espécie de concurso (há prémio para a melhor técnica e para a melhor táctica) uns auto-colantes com os números 1, 2 e 3. os felizardos poderão imprimir a foto e colar os auto-colantes e, se estiverem para aí virados, pendurar isto numa parede das suas habitações ou numa parede dos seus lares, conforme os casos, procedimento que, eventualmente, poderá proporcionar inúmeros momentos de anti-stress a par da curiosidade dos eventuais convidados e/ou parentes que apareçam para jantar, tomar um copo ou ser fistfuckeados.

e agora, ao trabalho, para construir um portugal melhor!!!

fervilhantemente sem comentários

smoke-break... tipo... pausa

algures entre a questão 2 do grupo III e a questão 1 do grupo IV (para quem não está, assim de repente, a ver onde é: fica na segunda página. isto na versão 1, claro está) aparece-me a canção "nomad" (a aparição, neste estatuto, prende-se mais com as palavras do que com os sons, apesar de coiso) de mazgani.
e isto fez-me pensar em muitas coisas.
uma das coisas que pensei foi: em certos dias, tipo este, preferia ser rocker/crooner /musician (arriscar o que interessa) do que profe.

aí dada dulta

está um dia perfeito para eu me esquecer da quantidade imensa de trabalho que me espera (é paciente, o meu trabalho, espera até quando for preciso...) e me lembrar de colocar umas tralhas úteis nos sacos da bike e partir na direcção do horizonte, para voltar (?) um dia destes. ou mais tarde.

mas este é o tempo perfeito.

(foda-se. agora a amplitude semântica do termo tempo instalou-se-me, insidiosamente, na cabeça. é a coisinhas assim que eu chamo, quando estou com os nervos, vírus existênciais.
pode bem correr mal este dia de trabalho)

pode ser que fazer a minha sopa para o festival de amanhã compense, ó o catano.

2010/05/31

vida cutidiana

nota mental: dizer a alguém, amanhã, algo como isto:
à sua ganda filha da mãe, o que tu tens é uma patite v

(pode ser que corra tão bem como quando, ao descer o coiso iniciático, desde o 5º piso até ao 9º (sentido descendente) eu insisti em dizer, a cada lanço de escada, "é só humidadi... isto é tudo da humidadi.")

dedicatória

às vezes é melhor pena suspensa do que crime suspenso.

void



o que tem esta imagem em comum com a situação económica deste país?
não sei o que pensar sobre ambas as realidades.

ontem pintei uma guitarra com spray preto e ficou maizoumenos

as palavras "púcaro" e "búzio", justapostas, fazem-me pensar em manhãs de inverno na praia. não faço a mínima ideia do mecanismo misterioso que opera este salto mental.

i can read

passagens sortidas d'"a cruz de santo andré", de camilo josé cela

"don severino ri-se muito com as histórias da mamã de adelita, mas depois não as quer contar a ninguém, deve ser por discrição. a dona mencía encontra-se algumas vezes com don severino no bar hong-kong, na rua da galera, eles julgam que ninguém sabe, a dona mencía conta-lhe as porcarias da mamã da adelita, aqui ninguém pode falar de ninguém porque todos têm muitas coisas que ocultar, o don severino gosta de escutar mistérios e intimidades, isso é frequente e não nos deve surpreender.
- não trazes cuecas?
- e que tens tu a ver com isso?
- ora, nada, é só curiosidade.
- pois, é verdade, não trago cuecas, sabes que ando sempre sem cuecas, comprova se quiseres.
don severino, por baixo da mesa, comprovou o que já sabia, a mulher abriu um pouco as pernas e tapou-se com el ideal gallego, não custa nada ser-se discreta."

"acontece à arte como à ciência e na vida e na morte está subjacente a mesma pretensão, estas quatro fontes são exactas ou reais mas não exactas ou reais ao mesmo tempo"

"teria gostado de depor um raminho destas flores silvestres sobre o teu túmulo, mas não foi possível porque tu ainda não estás morta, devem respeitar-se sempre os confusos e também inescrutáveis desígnios de deus"

"peço perdão porque não tenho outro remédio, gostaria que alguém me ajudasse a enriquecer a minha vã existência, bem sei que é pedir pêras a um ulmeiro, contentava-me que alguém me ensinasse as técnicas básicas da meditação, algo que me fizesse conhecer a minha mente e vencer as minhas inquietudes,a minha negatividade, sei que é pedir demais"

2010/05/30

protector solar no nariz é um bocado gay...



é um facto: a crise também chegou a este blog.
se se fizer um raid pelos arquivos (exercício que não se aconselha, por várias razões) poderá constatar-se isto mesmo.
para começar, esta coisa está fora de moda. isto dos blogs. especialmente estes com "ar de gaja", como disse M.
estes espaços não são nem têm que ser reflexos da vida dos seus autores, quer numa perspectiva literal, quer numa abordagem mais ampla de inclusão de alteridade numa dimensão pessoal, mais ou menos fragmentada, mais ou menos fragmentária.

no recentemente desaparecido editorial que acompanhava o template deste sítio dizia-se que isto era só e apenas um depositório de tralha. talvez continue apenas a sê-lo, mas de forma mais assumida. talvez haja menos tralha para depositar.
purizemplo:

uma situação que, tradicionalmente, daria material para arquivo carapáutico é, pura a simplesmente, tratada in vivo:
- estás a pensar em quê?
- estou a pensar que tens os pés muito bonitos. muito elegantes mesmo...
- muito obrigada. tu reparas assim sempre em tudo?
- sim. habitualmente sim, e cada vez mais.
- isso é um bocado assustador, mas fica-te bem.
- fica-me bem ser assustador?
- fica.

2010/05/27

self-doubt, XXVII

pã-ture

Who Should Paint You: M.C. Escher

Open and raw, you would let your true self show for your portrait.
And even if your painting turned out a bit dark, it would be honest.

isto é, tipo, vem-se aqui e pronto.

2010/05/22

it's my glob



com este novo modo de edição de fotografias aqui na casa, o resultado pode ficar aquém, além, meio coiso, etc do pretendido originalmente.
a visualização da fotografia que me interessou implica um clique na que se vê... diz que foi tirada no fundão, neste inverno, ou lá o que é...

está calor. amanhã vou andar muitos kms de bike.
e a quem é que isto interessa?

2010/05/21

anti-trist

lembro-me da análise da tubularidade das nossa memórias de uma cidade. a imagem que sempre me acompanhou para ilustrar esta situação foi a de uma espécie de toupeira de consciência a abrir galerias de inteligibilidade (tenho uma sensação esquisita... assim como de que não sei o que estou a dizer).
as galerias devem ser escoradas regularmente sob pena de derrocada. aconteceu-me isso em abrantes, mui recentemente. perdi-me várias vezes nas ruas estreitas. nas ruas mais largas e avenidas apenas me desorientei. e foi bom. deambular à noite pelo centro histórico de abrantes será semelhante a deambular pelo bairro-alto após um surto de peste: os nosso passos ecoam no pavimento e não se vê viv'alma.

fui ver o filme "anti-cristo", ao espalha-fitas.
sobre isto falarei noutra altura. em calhando...

2010/05/20

brave new world

(diz-me a net que:)
fiona quer ligar-se a si.
(e fiona materializa esse desejo através dos seguintes dizeres:)
Good day. My name is Vanessa I have some sexy undies. i'm dying to show off. u interested?

someting diferent, tecnicaly

O inglês de Sócrates é uma manifestação da sua circunstância social. Traduz a sua geração, pois será cada vez mais improvável que alguém chegue onde ele chegou a assassinar o inglês daquela maneira. Traduz também a sua educação, feita longe dos círculos burgueses e letrados dos grandes centros urbanos (penso no anglófilo Jorge Sampaio).

O "portunhol" de Sócrates é sobretudo uma manifestação da sua personalidade. Percebe-se ali o espírito de "desenrascanço", um fura-vidas, uma enorme e algo autista confiança, a coragem, ousadia ou lata para enfrentar a elite económica e financeira de Espanha com tão parcos recursos.

daqui

2010/05/19

self-portrait quotation

Don't walk behind me, I may not lead. Don't walk in front of me, I may not follow. Just walk beside me and be my friend.

2010/05/18

ai o catano!!!!

por via de mudar a fotografia desta coisa tive que alterar o modelo o que levou ao desaparecimento de umas coisas cool que cá estavam e os vídeos do outro gajo a cantar e mais não sei quê... e agora estes títulos a verde.
não há-de ser nada.
um dia destes mudo isto.
ou não.
e a foto nem é assim coisa... tenho que editar outra...
ou isso ou fazer algo de útil pássiedade.

2010/05/16

2010/05/14

if the music's too loud, you're too old...



o início (perfeito) do documentário "it might get loud", onde jimmy page, jack white e the edge conversam sobre guitarras eléctricas.
não é só conversa, claro está... tocam umas coisitas. eles fazem-se, com treino.

filamentia

fala-se de amor para não se estar calado
em circunstâncias de silêncio impossível
tomando a peito o compromisso de só dizer o importante.
ama-se para que se não seja morte
silenciosa impossibilidade de circunstância
promessa, peito, porta de cartomante.

regalo



dia cool.
troquei o uso de colete reflector e raqueta vermelha pelo transporte de tralha extra. compensou: pude ir sozinho do outro lado da estrada e ouvir o meu som e a andar ao meu ritmo.

fotka: miguel

2010/05/11

»»»»»»»||||-----||||««««««««



eu, lugar comum

não gosto da cara de bento16.
e acho que não sou o único...
mas isto quem vê caras não vê corações, nem moelas, nem fígado, nem outras miudezas...

eu, se fosse eu, ao entrar na nunciatura, gritaria: abre, núncio!
claro que quem me conhece sabe o modo como eu diria isto: mais ou menos o mesmo como quando, ao passar por portas automáticas, digo "abre-te sésamo!".
costumam abrir.

palavra de honra que, quando vi a outra cena do toureiro a ser colhido (tal como uma flor... a eterna poesia da festa brava) pelo corno do bicho, me pareceu mesmo que tinha sido no tórax. aliás, afirmei, quando do visionamento, que aquilo tinha entrado pelo diafragma adentro que tinha sido uma limpeza.
afinal não. foi na zona genital. apanhou-lhe a safena, que é mui certamente apelidada como "a-dos-toureiros". não foi uma limpeza. o gajo perdeu praí uns 460 litros de sangue. tiveram que lhe fazer uma carrada de transferências de sangue, que era do a negativo, que eles até pediram disso ao microfone de la plaza de toros.

diz que amanhã vou à quinta da regaleira. é bom, até porque ando para lá ir há um ror de anos.

há gente que vive em tristão da cunha, no atlântico sul.
é uma ilha muito muito pequena e muito muito remota. investiguei essa ilha com algum pormenor por via da sua população ser constituída por (muito poucos) colonos britânicos e por (isto é que eu achei interessante) sobreviventes de naufrágios.
infiro da minha pesquisa um problema real de consanguinidade. mas isto sou eu, que vou arranjando vagar para estas merdices. já agora aproveito para referir que eu tenho um sinal na pilinha que é igual ao desenho desta ilha, vista de cima, a 53765m de altitude, no google-earth...

(minha) frase do mês:
mais vale ter graça do que ser desgraçado.
quando eu digo isto as pessoas olham para mim com um ar reverente de incompreensão. não da frase, mas de todo o cenário etno-cultural e motivacional que lhe subjaz.

pica

- estás a falar a sério?
- claro que estou a falar a sério. eu falo quase sempre a sério.
- então explica lá bem como é... vamos até lá acima e depois? quanto tempo demora a chegar lá acima?
- pelos meus cálculos, umas duas horas, a andar bem.
- duas horas?? e depois?
- depois... logo se vê.
- já alguma vez lá foste?
- não.
- e achas que vale a pena?
- mau mau... qual foi a parte do "logo se vê" que não entendeste?

2010/05/06

the cure



desta vez não sou eu, com as sandálias douradas de salto alto e a boa de plumas... mas só porque não calhou.

not eurovisão

então não querem lá ver que estou seriamente a considerar popping the cherry (em estrangeiro isto pode significar perder os 3, i.e., a virgindade*) relativamente a festivais de verão?
diz que a 8 do oito os beirut estarão (estarão mesmo?) na zambejeira do mari...
se eu fosse um tipo organizado saberia quando tenho férias, quando os satélites têm férias, o saldo da conta bancária e essas merdas...
mas, seu eu fosse um tipo organizado, talvez não estivesse seriamente (eventual contradição) a considerar ir a um festival, per la prima volta, com esta idade...
e ir de bicicleta é uma séria (eventual loucura. agosto e tal... talvez esteja fresquinho por via da cinza do coiso) possibilidade.
ou na carripana amarela...

e agora, só para ser do contra:


* às vezes não são precisos 2 para perder os 3...

ponto cruz

estou a ler um livro (obra menor, nada de coiso...) em que a personagem principal está entalado entre freud e nietzsche numa espécie de cura filosófica na aurora da psicanálise.
tenho as bikes arranjadas (mais ou menos)
tenho dois filhos lindos.